Notícia

Ata News

Unesp promove Workshop em Energias Renováveis

Publicado em 04 julho 2017

O WORKSHOP EM ENERGIAS RENOVÁVEIS- UNESP 2017 ocorreu dia 4 de julho na Sala do Conselho Universitário da UNESP, em São Paulo-SP. O fator motivador do evento, que envolveu aproximadamente 100 pessoas, entre integrantes do governo do Estado, integrantes da Universidade e representantes da iniciativa privada, foi o fato de os últimos anos estarem se caracterizando por intensas preocupações relacionadas com as alterações climáticas, com reflexos no meio ambiente e consequentes impactos em saúde humana, animal e produção de alimentos.

Reitor da Unesp, Sandro Roberto Valentini, reforçou, no evento, a importância da Unesp responder rapidamente aos desafios da sociedade, sempre se mostrando disposta ao debate com os mais variados setores da sociedade. "É importante o fomento de uma triangulação entre a universidade e o setor privado para fortalecer o Estado como uma instância empreendedora", disse.

Palestrantes destacaram que economia mundial tem apresentado oscilações severas e processos de recessão em muitos países, nos quais podemos incluir o Brasil, demonstrando a necessidade de redução de custos em serviços oficiais em níveis federal e estadual. As fontes alternativas de energia representam fontes de energia inesgotável, de baixo custo e baixo impacto ambiental, associadas à redução de poluentes e à preservação ambiental.

Especificamente em relaçao aos atores do evento (governo do Estado, Unesp e iniciativa privada), o reitor argumentou que a universidade tem plenas condições de dar retorno à sociedade que a financia na forma de conhecimento acadêmico na forma de papers publicados em revistas de prestígio nacional e internacional, e também contribuindo com a geração de riqueza na forma de pesquisas e ações com impacto no PIB. "O Estado investe na inteligência das universidades e isso pode trazer repercussões no setor empresarial, principalmente em São Paulo, que tem um sistema único com a autonomia de três universidades públicas (USP, Unesp e Unicamp), que cobrem 33 cidades paulistas, tendo a Fapesp como amálgama desse conhecimento", mencionou.

Entre os parâmetros que norteram o evento, está o Plano Paulista de Energia, que em suas diretrizes e propostas de políticas públicas para o decênio 2011-2020, tem como objetivo estimular fontes alternativas e uso racional e eficiente de energia, tendo em vista o cumprimento dos objetivos e meta da Política Estadual de Mudanças Climáticas – PEMC. O plano apresenta como meta para 2020 fontes de energia com quase 70% de energias limpas, situação possível a partir da "utilização de bioeletricidade, da troca de energéticos poluentes por combustíveis verdes, da racionalização da matriz de transportes, da geração de energia por meio de resíduos sólidos e de pesquisa, desenvolvimento e eficiência energética" (Plano Paulista de Energia-PPE 2020- Conselho Estadual De Política Energética – CEPE, 2012).

Secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo e Presidente do Conselho de Energia do Estado de São Paulo – CEPE, João Carlos de Souza Meirelles exaltou que o Estado e a Universidade estão, em conjunto, respondo prontamente a desafios da sociedade na área energética. "Trata-se de uma agenda oportuna, que busca discutir qual é o papel dos atores sociais perante esse desafio. Isso demanda uma visão estratégica, que envolva, por exemplo a produção de maneira renovável e sustentável", disse.

Meirelles apontou ainda que um ponto essencial está na transição dos hidrocarbonetos e petróleo para energia renovável. "O fato é que não temos potencial energético tradicional para suportar um crescimento de 4% num futuro próximo. A manutenção de energias como gás natural e solar ao longo do tempo envolve alto grau de tecnologia e de complexidade, que demanda uma visão sistêmica e estratégica. Encontros como este fomentam um momento histórico que é uma oportunidade única de fazer um imenso trabalho entre o Estados, as universidades, como centros de inteligência, e as empresas", concluiu.

Secretário Adjunto da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Antonio Velloso Carneiro relatou as políticas da pasta em que atua em diversas áreas. Em relação ao etanol, apontou a existência de um protocolo de boas práticas com setor produtivo. No âmbito da coleta e do tratamento de resíduos sólidos, um desafio seria a questão do lixo urbano, que necessita ser trabalhado junto com as prefeituras. "Quanto à energia solar, há ações no sentido de licenciamento simplificado de energia elétrica solar fotovoltaica", destacou.

Carlos F. O. Graeff, pró-reitor de Pesquisa da Unesp, lembrou que o Workshop teve seu início em rodadas de discussões da Secretaria de Energia e Mineração logo no início da nova gestão da Universidade com foco especificamenteem energias renováveis. "O desenvolvimento humano está atrelado ao uso da energia e trouxe benefícios, transformações e problemas como o aquecimento global. Cabe a à sociedade buscar alternativas as economicamente viáveis, como as que foram aqui discutidas. É necessário dialogar com as Secretarias de Estado e com a sociedade como um todo, sejam empresas públicas e privadas, no sentido de que a Universidade possa compartilhar com maior número possível de pessoas o conhecimento que gera", comentou.

"Tendo em vista a questão econômica do país e de nosso estado e vislumbrando a adequação às necessidades de um mundo sustentável, especialmente em um país com fortes desigualdades sociais, a Unesp, por meio deste Workshop em Energias Renováveis, buscou discutir fontes alternativas de energia, bem como avaliar possíveis parcerias nesta temática entre a Universidade e as Secretarias Estaduais", concluiu Carlos F. O. Graeff, pró-reitor de Pesquisa da Unesp.

No encerramento, o reitor Valentini apontou a importância de agentes de inovação, como a Agência Unesp de Inovação, e ainda a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), voltada para parcerias e credenciamento de instituições de pesquisa e tecnologia em busca do desenvolvimento de projetos inovadores, participarem do processo. "Todas essas instâncias precisam estar profundamente envolvidas nas próximas reuniões sobre o tema que tenham como foco a aproximação entre pesquisadores, integrantes do governo estadual e empresas privadas tanto com foco em impactos no PIB do país como em programas voltados para a redução das desigualdades sociais", afirmou.

Fotos do evento disponíveis em

https://goo.gl/photos/vxnK32YWRiz1cEhQ9

Assessoria Unesp