Notícia

Jornal da Unesp online

Unesp participa de projeto sobre a história transnacional dos impressos

Publicado em 21 novembro 2011

Duas pesquisadoras da Unesp, Tânia Regina de Luca e Lucia Granja, das unidades de Assis e São José do Rio Preto, respectivamente, participam de um projeto para conhecer melhor os impressos e as ideias em circulação entre Inglaterra, França, Portugal e Brasil de 1789 a 1914. O período chamado pelos historiadores de o "longo século XIX", vai da eclosão da Revolução Francesa ao começo da Primeira Guerra Mundial.

O projeto foi recém-aprovado pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e terá duração de quatro anos. Intitulado "A circulação transatlântica dos impressos - a globalização da cultura no século XIX", está sob a responsabilidade de Márcia Abreu, do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp.

"Nos queremos identificar e analisar as práticas culturais inerentes aos processos de circulação dos impressos e dos ideais em escala transnacional, por meio da observação dos escritos e das ações dos letrados, censores, editores, impressores e livreiros", explica Márcia. Ela recebeu o Prêmio Jabuti deste ano, juntamente com Aníbal Bragança, na categoria Comunicação, pelo livro Impresso no Brasil, lançado em parceria pela Editora Unesp e a Fundação Biblioteca Nacional.

A ação vai analisar o processo de difusão das culturas francesa e inglesa em escala transatlântica, em um momento em que há uma clara supremacia econômica britânica e uma nítida preponderância cultural francesa; e refletir sobre a maneira pela qual a constituição da nacionalidade brasileira se processou em interação com impressos, editores e livreiros estrangeiros, cuja presença é central na cultura letrada do país no século XIX.

No projeto, Tânia de Luca estudará a revista A Ilustração - revista de Portugal e do Brasil, periódico editado na França por Mariano Pina. "Esse periódico circulou no Brasil e em Portugal entre 1884 e 1892, analisando os comentários e notas sobre livros publicados na França, em Portugal e no Brasil", relata.

Por sua vez, Lúcia Granja examinará as ligações profissionais entre o livreiro e o editor e Machado de Assis (1839 - 1908), caso exemplar de escritor-jornalista no XIX. "Estudarei a relação entre composição literária e suporte, tanto na publicação de literatura nos periódicos, como no momento da transferência de um texto inicialmente publicado em jornal ou revista para o formato livro", afirma. "Analisarei também o movimento que leva os textos de Machado dos periódicos aos livros, o que, em alguns casos, implica uma dupla passagem por tipografias parisienses, que imprimiram tanto periódicos quanto livros que abrigaram a produção."

Planejamento

O projeto prevê a realização de quatro colóquios internacionais: em Lisboa, Portugal (2011); em Belo Horizonte (2012); em Versailles, França (2013); e Campinas e São Paulo (2014).

Nesses encontros, os pesquisadores apresentarão os avanços obtidos em suas pesquisas ao longo do ano e discutirão com os colegas, estreitando, progressivamente, os laços entre as diferentes investigações. Os resultados finais do projeto serão apresentados durante o 22o Congresso Internacional de Ciência Histórica, que será realizado em 2015, em Jinan, na China.

Outra expectativa é a publicação de um livro coletivo, no qual cada um dos pesquisadores apresentará os resultados de seu trabalho em um capítulo, a ser editad no Brasil, na França e na Inglaterra. O fechamento desse livro está previsto para 2014, em evento a ser realizado na Unicamp e na USP, no colóquio de encerramento do projeto.

Assessoria de Comunicação e Imprensa