Notícia

Folha de S. Paulo - Vale (São José dos Campos)

Unesp ganha equipamentos e já oferece serviços

Publicado em 29 maio 2005

Com a recente chegada de mais equipamentos para desenvolvimento de pesquisas científicas, o laboratório da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Sorocaba passa a oferecer serviços à comunidade. A Unesp recebeu dois espectrômetros, sendo um de absorção e emissão atômica com atomização por chama e outro de forno de grafite, obtidos junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) com a aprovação de um projeto de pesquisa. O laboratório é o mais equipado da região nesta área de interesse, com toda infra-estrutura necessária para a avaliação físico-química da qualidade de água e análise de elementos em diferentes tipos de matrizes, destacou o professor e autor do projeto, André Henrique Rosa.
De acordo com o docente da Unidade Diferenciada de Sorocaba, o laboratório da Unesp começou a ser montado no início do ano, com a aprovação do projeto de pesquisa, tendo recebido ao longo deste período um total de quinze equipamentos. E com a chegada do espectrômetro de absorção atômica multiseqüencial com atomização por chama (Varian 240FS), e do espectrômetro de absorção atômica com atomização por forno de grafite (Varian AA240Z), vindos da Austrália, a unidade passa a oferecer toda infra-estrutura necessária para os estudos associados à coleta, preparo de amostras e determinação de metais até o nível de traços em matrizes de interesse ambiental - água, solo, sedimentos, plantas, entre outros -, e ainda biológico e tecnológico.
A aprovação do projeto de pesquisa, em que são avaliados todo o conteúdo acadêmico, e a chegada dos equipamentos, avaliados em US$ 126 mil, são conquistas para a unidade local, que começa a prestar serviços às empresas, agricultores e demais interessados neste tipo de análise. Segundo explicou André Rosa, é um dos itens levados em conta na avaliação da FAPESP. Completo há mais de duas semanas, o laboratório da unidade começou a ser operado pelas alunas Danielle Gouveia (mestranda) e Iramaia Corrêa (doutoranda), após receberam treinamento da empresa Varian, responsável também pela montagem dos espectrômetros. Os dois últimos equipamentos estão avaliados em U$ 72 mil.
O professor explicou que alguns metais são essenciais aos organismos dos seres vivos enquanto outros são tóxicos. E com os espectrômetros em operação, a quantificação de metais determinará se o seu efeito é benéfico ou não, destacou ele, para exemplificar a importância das análises.
As empresas, agricultores e demais interessados em realizar análises devem entrar em contato com a Unesp Sorocaba, localizada à avenida 3 de Março, 511, no Alto da Boa Vista. Outras informações sobre o laboratório, o projeto de pesquisa, trabalho desenvolvido por seu autor, e até mesmo sobre a prestação de serviços da Unesp podem ser obtidas no site www.sorocaba.unesp.br/gea, página www.sorocaba.unesp.br/professor/andrerosa, pelo e-mail ahrosa@sorocaba.unesp.br, ou pelo telefone (15) 3228-2466.