Notícia

Gazeta Mercantil

Unesp finaliza genoma de bactéria de hortaliça

Publicado em 16 março 2001

Por Edson Álvares da Costa - de Jaboticabal (SP)
Pesquisadores brasileiros terminaram ontem o seqüenciamento do genoma da Xanthomonas campestris, bactéria causadora de doenças em hortaliças e usada como modelo, para estudo da interação entre plantas e bactérias. Este seqüenciamento, ainda não anunciado oficialmente, é o quarto concluído no Brasil, depois dos da Xylella fastidiosa(bactéria causadora do "amarelinho" na laranja), da cana-de-açúcar e da Xanthomonas citri (bactéria causadora do cancro cítrico). "O seqüenciamento do genoma da Xanthomonas campestris, que ataca vários'tipos de plantas, como repolho, couve e tomate, é mais importante do que o seqüenciamento, da Xanthomonas citri, que só ataca a laranja", diz a bióloga Eliana Lemos, pesquisadora da Universidade Paulista (Unesp)"em Jaboticabal e coordenadora de um dos 14 labora-tórios que trabalharam no projeto. O Brasil já investiu mais de US$ 20 milhões em pesquisas envolvendo o seqüenciamento de genes. Fapesp vai inaugurar, nas próximas semanas, no campus da Unesp em Jaboticabal, do Brasilian Clone Colection Center (BCCC), o primeiro laboratório de estocagem,manutenção e distribuição de clones de genes da América Latina, que custou US$1 milhão e onde estão guardados todos os genes do Projeto Genoma da Cana-de-Açúcar e das bactérias seqüenciadas, que poderão ser vendidos a pesquisadores e laboratórios do mundo inteiro. "Este laboratório eleva o Brasil à condição de exportador de conheci-- mento", diz a agrônoma Sônia di Mauro, pesquisadora da Unesp.O BCCC vai estocar também genes da Xylella, causadora de doenças nos vinhedos da Califórnia, EUA.