Notícia

A Cidade On (Araraquara, SP)

Unesp Araraquara cria jogo virtual de combate à dengue

Publicado em 31 julho 2011

Por Gustavo Ballestero


O jogo virtual educativo ludoeducativo.com.br, criado há cinco anos por um estudante do Instituto de Química (IQ) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Araraquara, ganhou uma extensão — o ludoeducajogos.com.br — que permite ao internauta jogar e aprender como se combate a dengue.

Segundo o professor Elson Longo, o jogo foi criado em 2006, pelo então estudante de graduação em Química Manoel Guerreiro, por meio de atividade da disciplina de Prática de Ensino. A brincadeira tinha como objetivo apenas ensinar, de forma divertida, a disciplina de Química para alunos do Ensino Fundamental e Pré-vestibular.

Em 2010, o jogo passou a ser on-line e conter atividades de várias disciplinas integradas, divididas em quatro módulos: Ludo Ação, para estudantes da 1ª a 5ª série; Ludo Radical, para estudantes da 6ª a 9ª série; Ludo Vestibular, para estudantes do Ensino Médio; e Ludo Quântico, para estudantes universitários. "O jogo não era pela internet. Nós o colocamos on-line no ano passado", conta Longo.

No começo de julho, foi criada a opção do ludoeducajogos.com.br, que tem atividades de educação no combate à dengue e na reciclagem de lixo. "Com isso, em apenas 20 dias tivemos mais de cem mil acessos", diz o professor, orgulhoso.

Segundo ele, os adolescentes gostam de jogos de computador e ficam, muitas vezes, imitando o que os personagens fazem. Por isso, surgiu a ideia de uma atividade que refletisse em algo de bom para a sociedade.

Aperfeiçoamento

A configuração dos jogos é constantemente aperfeiçoada pela Aptor, empresa de Tecnologia da Informação com sede em São Carlos. O projeto tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

Araraquara vive sua terceira epidemia de dengue. No última boletim da Vigilância Epidemiológica, em 6 de julho, haviam sido registrados 2.225 casos da doença na cidade.