Notícia

Agrolink

Unesp Araçatuba vence Prêmio Produz Brasil na categoria "Inovação"

Publicado em 09 novembro 2011

O Genoma do Zebu, projeto liderado pela Unesp (Universidade Estadual Paulista - Araçatuba), é a grande campeã do Prêmio Produz Brasil na categoria "Maior investimento em inovação e tecnologia na gestão, no processo e no produto". Trata-se de estudo inédito sobre o sequenciamento genético da principal raça bovina do Brasil, o Nelore, o que potencializará a produção de carne e leite no País.

O Prêmio Produz Brasil é uma iniciativa que reconhece as ações inovadoras de empresas e instituições ligadas aos diferentes segmentos do agronegócio. O Prêmio Produz Brasil é realizado pela revista Produz, com apoio da Federação da Agricultura do Estado de São Paulo (FAESP).

"Ganhar esse prêmio é mostrar a todas as pessoas ligadas ao agronegócio a importância do Projeto Genoma do Zebu para a cadeia produtiva de carne e de leite. Estamos alcançando a ponta da lança, isto é, o consumidor final com nosso experimento. Todos nós só temos a ganhar com o sequenciamento genético do gado Nelore. É a ciência ligando todos os elos da cadeia produtiva", comemora Fernando Garcia, coordenador da pesquisa e professor da Faculdade de Medicina Veterinária da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - campus de Araçatuba/SP).

"Esta pesquisa amplia as possibilidades de controle no processo de seleção dos melhores animais e de seus cruzamentos, propiciando, entre outros benefícios, a melhoria na qualidade da carne e do leite bovino brasileiro, além do aumento da produção de proteínas animais", ressalta Garcia.

O projeto Genoma do Zebu durou dois anos e recebeu investimentos de aproximadamente US$ 500 mil, provenientes da Unesp, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Além disso, teve apoio do pesquisador americano Tad Sonstegard, do Agricultural Research Service (ARS) e Departamento Americano de Agricultura (USDA), pesquisadores da Universidade de Maryland (EUA) e Università Cattolica Del Sacro Cuore (Itália).