Notícia

Diarioweb (São José do Rio Preto)

Unesp apresenta controle climático

Publicado em 23 outubro 2010

Hoje, a partir das 8 horas será realizada na Fundação Educacional de Fernandópolis (FEF) o curso "O uso da Estação Agrometeorológica no Monitoramento Agrícola e Ambiental", em parceria com a Área de Hidráulica e Irrigação da Unesp de Ilha Solteira. O curso servirá também para demonstrar o trabalho da Unesp de Ilha Solteira de monitoramento climático até agora desenvolvido e o projeto em andamento que instalará uma rede agrometeorológica na região noroeste paulista.

Atualmente, a Área de Hidráulica e Irrigação de Ilha Solteira opera duas estações meteorológicas, sendo uma naquele município e outra em Marinópolis, mas a área coberta por estações e sensores será ampliada pelo projeto "Modelagem da produtividade da água em em bacias hidrográficas com as mudanças do uso da terra". O projeto está sendo desenvolvido por meio da Cooperação Institucional entre Unesp Ilha Solteira e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Semi-Árido com financiamentos da Fapesp e Facepe, fundações de incentivo à pesquisa dos estados de São Paulo e de Pernambuco, respectivamente.

O projeto segue a linha de pesquisa intitulada Planejamento da Irrigação e dos Recursos Ambientais (Piira) que propõe a formação de uma rede de nove estações agrometeorológicas automáticas. As estações serão distribuídas pela região noroeste paulista, a fim de determinar os diferentes microclimas que compõem a região, a evapotranspiração em escala regional e o apoio ao usuário da água, com ênfase ao irrigante.

A rede cobrirá a área que vai desde o encontro do rio Tietê com o rio Paraná até a área às margens do rio Grande em Populina, monitorando áreas irrigadas principalmente de grãos, pastagem, cana e citros. O curso será ministrado pelo engenheiro ambiental e mestrando Sistemas de Produção, Gilmar Oliveira Santos.

O curso de 8 horas faz parte da programação da Semana da Engenharia Ambiental, realizada anualmente e vai tratar de temas que vão desde à escolha do local mais apropriado para se instalar uma estação meteorológica até a aplicação dos dados climáticos tanto na área urbana, como rural, em atidades de monitoramento sistemático do clima como na explicação de fenômenos adversos, ilustrado pela atividades de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas na Unesp de Ilha Solteira. A programação prevê atividades teóricas no período da manhã e prático no período da tarde.