Notícia

O Regional (Catanduva, SP) online

Uma vacina de ânimo para a ciência brasileira!

Publicado em 24 novembro 2016

Durante muitos anos, o Instituto Butantan, de São Paulo, teve sua imagem associada única e exclusivamente à produção de soro antiofídico. No entanto, quando o assunto é Butantan, estamos diante do principal produtor de imunobiológicos do Brasil, responsável por grande porcentagem da produção nacional de soros hiperimunes e grande volume da produção nacional de antígenos vacinais, que compõem as vacinas utilizadas no Programa Nacional de Imunizações – PNI, do Ministério da Saúde.

 

Este ícone da ciência paulista e brasileira, que não se cansa de desenvolver estudos e pesquisa básica nas áreas de Biologia e de Biomedicina relacionadas, direta ou indiretamente, com a saúde pública, decidiu encarar o maior desafio de sua história: produzir uma vacina para combater a Dengue em todas as suas formas. Para ser mais específico: uma vacina contra os quatro vírus da dengue, uma doença endêmica e preocupante. Faz parte desse desafio ações de conscientização da sociedade brasileira sobre o controle do mosquito Aedes Aegypti.

Atualmente apenas uma vacina foi licenciada no Brasil, desenvolvida pela empresa francesa Sanofi Pasteur. A vacina do Instituto Butantan está na terceira fase de testes, quando mais de 17 mil voluntários estão sendo observados - dois terços deles receberão a vacina verdadeira e um terço receberá um placebo. Antes, a vacina passou por testes clínicos nos Estados Unidos em 600 pessoas e depois em São Paulo por mais 300. O objetivo agora é estender os testes em todo Brasil, garantindo que as pessoas estudadas tenham contato com todos os sorotipos da doença.

O Instituto Butantan, fundado em 1901, é uma das mais prestigiosas instituições científicas do Brasil. Reconhecido mundialmente por seu trabalho com animais peçonhentos, é hoje um destacado centro de pesquisa biomédica, que integra pesquisa científica e tecnológica, produção de imunobiológicos e divulgação técnicocientífica, buscando a atualização e integração de seus recursos e, com isso, a inovação. Ligado à Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, contando com aproximadamente 2 mil funcionários e mais de 30 laboratórios, o Butantan é responsável pela produção em grande escala de vacinas, soros e outros biofármacos de interesse para a saúde pública.

A diversidade de pesquisas, o aparato tecnológico de ponta e a história centenária são pilares fundamentais que ajudam a intensificar as parcerias e as trocas internacionais, que sempre marcaram positivamente a trajetória da instituição. Desenvolver produtos biológicos, promover as ciências básica e aplicada e difundir o conhecimento científico tendo como foco a saúde pública. Esse conjunto de fatores sintetiza a missão da instituição e a projeta para enfrentar os desafios do século XXI. Nesse contexto, é preciso aplaudir a postura do governador Geraldo Alckmin, responsável diretamente pela nova dimensão do Instituto. A Vacina Dengue Butantan é o resultado do tipo de ciência transdisciplinar produzido no Instituto, que, graças às parcerias fundamentais com o NIH (National Institutes of Health), o Instituto Adolfo Lutz, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) – Instituto Central e Instituto da Criança, e o fomento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), desenvolve o projeto e já avança para a fase de ensaios clínicos, que, a se confirmar os resultados extremamente positivos das fases anteriores, será uma contribuição de grande vulto para a saúde pública.

Dr. Sinval Malheiros é médico e deputado federal pelo PTN-SP