Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Uma palestra com o diretor da DFG, maior fundação de fomento à pesquisa da Europa

Publicado em 01 abril 2011

A sala do Conselho Universitário (Consu) foi reservada na manhã desta sexta-feira para uma palestra de Dietrich Halm, diretor da Deustche Forschungsgemeinschaf (DFG), fundação alemã de pesquisa científica equivalente ao CNPq. A palestra intitulada "International Cooperation in DFG-Programmes", promovida pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação e dirigida principalmente a diretores de unidade e coordenadores de cursos, teve o objetivo de apresentar possibilidades de apoio a atividades de integração e intercâmbio entre a Unicamp e instituições de ensino superior da Alemanha.

Dietrich Halm é o diretor do recém-criado escritório da DFG em São Paulo, coordenando as atividades para a América Latina, inclusive parcerias com agências de fomento como Fapesp e CNPq. Como pesquisador do Centro de Geociências Aplicadas da Universidade de Tübingen, ele liderou diversos projetos de pesquisa sobre solo e proteção integrada da água na Europa, Argentina e Brasil.

O professor Euclides de Mesquita Neto, pró-reitor de Pós-Graduação, explica que a DFG é a maior fundação da Europa e, apesar da sua relevância na articulação das pesquisas científicas no continente, optou por abrir escritórios fora da Alemanha nos últimos anos. "A fundação tem representações na China, Estados Unidos, Índia, Japão e, desde janeiro, também no Brasil [na cidade de São Paulo] - o que é um demonstrativo do grau de importância que ela atribui à cooperação científica com os brasileiros".

Segundo Mesquita Neto, esta cooperação vem crescendo e a ideia é fortalecê-la ainda mais. "Se antes havia um movimento meio espontâneo, com os pesquisadores se articulando entre si, Dietrich Halm defende agora uma colaboração em nível institucional, visto que a Alemanha vê no Brasil um potencial científico enorme, podendo-se ganhar dos dois lados. Na palestra, ele explanou sobre as diversas linhas de fomento da DFG e lembrou que já existe um acordo com a Fapesp. Acenou, ainda, com a criação de centros conjuntos de pós-graduação".

A DFG possui autonomia administrativa e apóia projetos de pesquisa em todos os ramos das ciências humanas e sociais, exatas e da vida, custeando projetos em universidades e outras instituições de pesquisa. Do seu quadro fazem parte universidades alemãs, institutos de pesquisa não acadêmicos e associações e academias de ciências. Para realizar suas atividades, a fundação dispõe de mais de 2 bilhões de euros por ano, recursos recebidos principalmente do governo federal (65%) e de governos estaduais da Alemanha (34%), e ainda da União Europeia e de doadores particulares.