Notícia

Jornal Primeira Página

Um robô solidário e que atua

Publicado em 17 julho 2011

Nada de atores consagrados, galãs de novelas ou mocinhas estonteantes, a nova sensação da TV é um robozinho que atua na novela "Morde e Assopra" e atende pelo nome de Zariguim. Ele fala, dança, interage e encanta a todos com sua aparência humanóide que dissemina simpatia por onde passa.

O andróide que na vida real recebe o nome de "Nao", foi desenvolvido pela empresa francesa Aldebaran Robotics em parceria com a pesquisadora Lola Cañamero, da Universidade de Heltfordshire daquele país e outros pesquisadores.

Aqui no Brasil, existem apenas 2 exemplares do robô Nao. Um deles se encontra no ICMC (Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação) da USP de São Carlos e outro, no Projac da Rede Globo.

Roseli Aparecida Francelim Romero que trabalha há mais de 10 anos na área de robótica e, atualmente, é coordenadora do Laboratório de Aprendizagem de Robôs do ICMC, conta que o interesse em adquirir o Nao surgiu da necessidade de ampliar os projetos desenvolvidos nas áreas de robótica social, cooperativa e móvel.

Hoje, o Nao fala inglês e francês. Em breve, terá um software desenvolvido para que possa falar também o português, já que o foco dos pesquisadores da USP é fazer com que o robô seja capaz de reconhecer gestos e expressões dos seres humanos, para ser utilizado em projetos sociais. "Existe um projeto de levar o Nao para a Santa Casa de São Carlos, a fim de animar e entreter as crianças que estão em tratamento de câncer, mas para tanto precisaríamos de mais robôs e investimento", revela Roseli. Para se ter uma noção desse "investimento", o robô custa 12 mil euros, o que equivale a 30 mil reais. A compra desse primeiro robô foi financiada pela FAPESP (Fundação de Amparo a Pesquisa de São Paulo).