Notícia

Observatório da Geopolítica Energética

Um futuro com energia sustentável: iluminando o caminho

Publicado em 06 maio 2020

Por Willian Brito

Conforme reconhecido pelo Protocolo de Kyoto em 1997, conseguir um futuro de energia sustentável é o grande desafio do século XXI.

Os padrões atuais de recursos energéticos e de uso de energia se mostram prejudiciais para o bem-estar de longo prazo da humanidade. A integridade dos sistemas naturais essenciais já está em risco por causa da mudança climática causada pelas emissões de gás estufa na atmosfera. Ao mesmo tempo, os serviços básicos de energia atualmente não estão disponíveis a um terço das pessoas do mundo e mais energia será essencial para um desenvolvimento sustentável e equitativo. Os riscos à segurança energética nacionais e globais são ainda mais exacerbados pelo custo crescente da energia e pela competição pelos recursos energéticos distribuídos irregularmente.

Esse problema global exige soluções globais. Até agora, não se tem feito bom proveito dos melhores cientistas mundiais e de suas importantes instituições, mesmo sendo essas instituições um recurso poderoso para se comunicar além das fronteiras nacionais e para se alcançar um consenso sobre abordagens racionais para se tratar dos problemas de longo prazo desse tipo. As academias de ciência e de engenharia do mundo – cujas opiniões se baseiam em evidências e análises objetivas – têm o respeito de seus governos nacionais, mas não são controladas pelos governos. Assim, por exemplo, os cientistas de todas as partes geralmente concordam mesmo quando seus governos têm agendas diferentes. Muitos líderes políticos reconhecem o valor de basear suas decisões nos melhores conselhos científicos e tecnológicos e cada vez mais convocam suas próprias academias de ciência e engenharia para obter orientações para suas nações. Mas a possibilidade e o valor de tal orientação em nível internacional – de uma fonte análoga baseada em associações de academias – é um desenvolvimento mais recente. Na verdade, apenas com o estabelecimento do Inter-8 Academy Council (IAC – Conselho InterAcademias) em 2000 essa orientação pode se tornar um assunto objetivo.

Até agora, três importantes relatórios foram liberados pelo InterAcademy Council: sobre a formação de capacidade institucional em todas as nações para ciência e tecnologia (C&T), sobre agricultura africana e sobre mulheres para a ciência.

A pedido do governo da China e do Brasil, e com forte apoio do Secretário Geral das Nações Unidas, Sr. Kofi Annan, a Diretoria do IAC reuniu a expertise de cientistas e engenheiros de todo o mundo para produzir Um futuro com energia sustentável: iluminando o caminho. Chamamos aqui atenção especial para as mensagens importantes dos três relatórios.

Primeiramente, a ciência e a engenharia fornecem princípios críticos de orientação para se atingir um futuro de energia sustentável. Como afirma o relatório, “a ciência fornece a base para um discurso racional sobre compensações e riscos, para selecionar prioridades de pesquisa e desenvolvimento (P&D), e para identificar novas oportunidades – a abertura é um de seus valores dominantes. A engenharia, através da inexorável otimização das tecnologias mais promissoras, pode apresentar soluções – aprender fazendo está entre seus valores dominantes. Pode-se obter melhores resultados se muitos caminhos forem explorados paralelamente, se os resultados forem avaliados com medidas de desempenho real, se esses resultados forem ampla e detalhadamente relatados, e se as estratégias estiverem abertas para revisão e adaptação”.

Em segundo lugar, atingir um futuro de energia sustentável exigirá um esforço intensivo de formação de capacidade, bem como a participação de um amplo número de instituições e de grupos de apoio. O relatório enfatiza que “críticas para o sucesso de todas as tarefas à frente, são as habilidades dos indivíduos e instituições para efetuar mudanças nos recursos energéticos e seu uso. A formação de capacidade de expertise individual e efetividade institucional devem se tornar uma prioridade urgente de todos os principais atores – organizações multinacionais, governos, corporações, instituições educacionais, organizações sem fins lucrativos e a mídia. Acima de tudo, o público em geral pode receber informações confiáveis sobre as escolhas à frente e sobre as ações necessárias para se atingir um futuro de energia sustentável”.

Em terceiro lugar, embora atingir um futuro de energia sustentável exija abordagens de longo alcance, dados os prospectos assustadores da mudança climática global, o Painel de Estudos julga urgente que o seguinte seja feito expedita e simultaneamente: Devem aumentar os esforços conjuntos para melhorar a eficiência energética e reduzir a intensidade de carbono da economia mundial, incluindo a introdução mundial de sinalização de preços para emissões de carbono, considerando os diferentes sistemas econômicos e energéticos em países diferentes.

Tecnologias devem ser desenvolvidas e implementadas para capturar e sequestrar carbono de combustíveis fósseis, especialmente do carvão.

O desenvolvimento e a implementação de tecnologias de energias renováveis devem ser acelerados de forma ambientalmente responsável.

Também urgente como imperativo moral, social e econômico, devem-se fornecer serviços de energia sustentável modernos, eficientes e ambientalmente compatíveis às pessoas mais pobres deste planeta – que vivem principalmente em países em desenvolvimento. As academias de ciência, engenharia e medicina do mundo, em parceria com as Nações Unidas e muitas outras instituições e indivíduos envolvidos, estão alinhadas para trabalhar juntos para ajudar a enfrentar esse desafio urgente.

Agradecemos aos membros do Painel de Estudos, revisores e aos dois ilustres monitores de revisão que contribuíram para o sucesso da conclusão deste relatório. Também merecedores de apreço especial são os copresidentes e o grupo de trabalho que empenhou tanto tempo e dedicação para assegurar que o produto final fizesse a diferença.

O InterAcademy Council reconhece e agradece a liderança apresentada por: governo da China, governo do Brasil, Fundação William and Flora Hewlett, Fundação de Energia, Fundação Alemã de Pesquisa (DFG) e à Fundação das Nações Unidas, que forneceram apoio financeiro para a condução do estudo, para a impressão e distribuição deste relatório. Também agradecemos às seguintes organizações por sua contribuição em receber as oficinas regionais de energia do IAC: Academia Brasileira de Ciências, Academia Chinesa de Ciências, Academia Francesa de Ciências, Academia Nacional de Ciências da Índia e Conselho de Ciências do Japão.

Bruce Alberts

Presidente anterior da Academia

Nacional de Ciências dos EUA, copresidente

do InterAcademy Council

LU Yonxiang

Presidente da Academia Chinesa de Ciências,

copresidente do InterAcademy Council

Um futuro com energia sustentável: iluminando o caminho.pdf

Disponibilidade: Reprodução não comercial. A informação deste relatório foi produzida visando que estivesse prontamente à disposição para uso não comercial, pessoal e público, podendo ser reproduzida, parcial ou totalmente, através de qualquer meio, livre de pagamento ou permissão do InterAcademy Council. Apenas solicitamos que:

• Os usuários assegurem-se da precisão dos materiais reproduzidos;

• O InterAcademy Council seja identificado como fonte;

• Não se declare que a reprodução é a versão oficial dos materiais reproduzidos, nem que tenha sido feita por um afiliado do InterAcademy

Council, nem que tenha a aprovação do mesmo.

Referência: Um futuro com energia sustentável: iluminando o caminho / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo ; tradução, Maria Cristina Vidal Borba, Neide Ferreira Gaspar. – [São Paulo] : FAPESP ; [Amsterdam] : InterAcademy Council ; [Rio de Janeiro] : Academia Brasileira de Ciências, 2010. Disponível em: http://www.fapesp.br/publicacoes/energia.pdf >.