Notícia

Jornal de Piracicaba

Ultrapassando fronteiras

Publicado em 14 setembro 2012

A Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) oferece programas de intercâmbio para alunos da graduação e da pós-graduação em 27 países espalhados pelos cinco continentes. As viagens mais frequentes são para países como Japão, Espanha, Canadá, Inglaterra, Estados Unidos, Argentina, México, Coréia, entre outros. Por meio da Assessoria de Relações Internacionais são feitas mediações com agências, instituições e universidades, propiciando uma gama variada de oportunidades de ensino e educação internacionais.

De acordo com a coordenadora de pesquisa e pós-graduação, professora Rosana Macher Teodori, o programa desenvolvido para a pós-graduação é constituído do chamado “doutorado sanduíche” e permite que o aluno realize parte de sua pesquisa no exterior e, assim, possa retornar capacitado para defender sua tese. O tempo de permanência pode variar: “O apoio geralmente é dado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) ou pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo)”. Ela acredita na importância da experiência da vivência em outros países: “Os alunos podem verificar novas metodologias, equipamentos, métodos, ter maior contato com pesquisa científica e com pesquisadores estrangeiros”. Ela acrescenta que o retorno também é proveitoso, uma vez que os alunos compartilham as experiências e propõem a aplicação de novas técnicas e métodos.

Ela explica que o mesmo ocorre para a graduação: “A Unimep enviou quatro alunos da graduação esse ano para universidades nos Estados Unidos e no Reino Unido, e mais três alunos já estão com a aprovação para Potugal e Espanha. Todos por meio do programa Ciência sem Fronteiras, iniciativa do governo federal, que concede bolsas de estudos no exterior, do qual a universidade participa”. Existem também programas de intercâmbio, que variam desde uma experiência na área, como parte complementar dos estudos até cursos de idiomas: “No caso, o aluno custeia sua ida e hospedagem, mas há total apoio da universidade, que faz contatos, dá apoio com possíveis problemas”, disse.

“Durante a viagem também ocorre um acompanhamento do aluno, e eles sempre comentam por mensagens a riqueza das oportunidades para a formação pessoal”, completou. O enriquecimento cultural é proporcionado pela interação e convívio com alunos de outras culturas. A aluna do 7º semestre do curso de engenharia dos alimentos, Lais Blanez Diadamo, de 23 anos, viajou para a Argentina no ano passado para passar um semestre na Ucel (Universidad del Centro Educativo Latino americano) localizada em Rosário. Segundo ela, a experiência foi bastante positiva e agregou valores tanto educacionais, como pessoais: “A cidade é ótima, desenvolvida e grande. Eu gostei muito. Os argentinos são bastante simpáticos e receptivos. Na universidade tinha até um grupo de alunos chamado “embaixadores” que recebem estrangeiros e apresentam a cidade. A cultura é diferente, a comida, os horários, mas é fácil de se adaptar”.

Durante parte do curso que fez no país, Lais participou de grupo de pesquisa que buscava desenvolver um novo produto para pessoas intolerantes a glúten, por meio de um patê: “O trabalho foi até apresentado depois em uma feira, mas eu já não estava mais no país”. Além disso, outras oportunidades foram proveitosas para a aluna na área acadêmica: “Aprendi sobre gestão de empresas e tecnologia de um modo diferente, uma outra visão e recursos que não utilizamos aqui. Pude aprender como funciona a rotina de laboratório, as análises, as indústrias de alimentos”. Quanto ao idioma, ela disse que já havia feito curso. Laís Blánez Diadamo passou um semestre na Argentina sozinha, mas que o aprendizado foi tranquilo, pois seus colegas tinham bastante paciência e disposição para ajudar.

A aluna conseguiu equivalência de matérias e não precisou repor as aulas na Unimep. Ela recomenda esse tipo de experiência e relata ter saudades do local: “Ainda me comunico com os amigos que fiz por lá. Eu quero voltar”. A Unimep também está aberta para alunos de outras nacionalidades, para dividirem e ampliarem os conhecimentos no Brasil.