Notícia

Planeta Universitário

UFSCar homenageia William Saad Hossne

Publicado em 04 novembro 2016

A Universidade Federal de São Carlos homenageou o médico e professor William Saad Hossne, que foi reitor da UFSCar de 1979 a 1983 e integrante de seu Conselho de Curadores por 22 anos. Saad Hossne, que morreu no dia 13 de maio 2016, aos 89 anos, participou da criação da FAPESP, tendo sido diretor científico de 1964 a 1967 e de 1975 a 1979. Foi vice-presidente do Conselho Superior de 1985 a 1989.

Participaram da homenagem em 21 de outubro – organizada pela Reitoria da UFSCar em parceria com o Conselho Universitário e com o Conselho de Curadores – as duas filhas de Hossne, Andrea e Camila, representando também a esposa do homenageado e seus dois filhos.

O vice-reitor da UFSCar, Adilson de Oliveira, deu início aos pronunciamentos em memória do homenageado destacando características de Saad Hossne que seriam, depois, relembradas nas falas seguintes, como “gentileza e generosidade, juntamente à clareza e à profundidade de seu pensamento”.

Em seguida, Oliveira disse aos presentes que teriam uma oportunidade de ouvir o homenageado, anunciando entrevista em vídeo realizada em 2015 e inédita até aquele momento (assista a seguir ou em: https://www.youtube.com/watch?v=3iL6EYTBo3A).

No vídeo, Saad Hossne fala sobre o momento em que se tornou reitor da UFSCar e as características que diferenciavam a universidade desde aquele momento e com as quais se identificou, em especial o “compromisso social, a defesa dos processos democráticos e a postura pioneira e inovadora”.

Na segunda parte da entrevista, o tema é o desenvolvimento da Bioética no Brasil e no mundo, bem como sua relevância particular no momento histórico atual.

Quebrando o protocolo, três dos integrantes do público da cerimônia solicitaram a palavra para compartilhar depoimentos sobre sua convivência com o homenageado. José Roberto Gonçalves da Silva e Wolfgang Leo Maar, ambos docentes da UFSCar durante a gestão de Saad Hossne, destacaram a atenção que ele demonstrava “aos mínimos detalhes e a todas as pessoas da comunidade universitária”.

Já Mauro Rocha Côrtes, atual pró-Reitor de Gestão de Pessoas da UFSCar e ex-aluno da instituição, falou de sua relação com o então reitor quando era dirigente do Diretório Central dos Estudantes. Dando continuidade às falas oficiais, Paulo Marcos Eduardo Reali Fernandes Nunes falou do “prazer advindo de sua convivência com Saad no Conselho de Curadores”, do qual Nunes havia sido eleito presidente momentos antes da homenagem, tendo como vice-presidente Jurandir Povinelli.

Em seguida, muito emocionada, Andrea Saad Hossne agradeceu a homenagem e, durante a sua fala, compartilhou com os presentes depoimento inédito em que seu pai fala das particularidades da UFSCar, citando “o conhecimento como compromisso, a prática da educação em vez do ensino e da extensão em vez da mera prestação de serviço”.

O reitor da UFSCar, Targino de Araújo Filho, disse ter deixado de “ter medo de envelhecer” depois de conhecer Saad Hossne, diante da clareza e energia sempre demonstradas por ele. Araújo Filho transmitiu à família o agradecimento da UFSCar, afirmando que, “se esta universidade é o que é, se tem essa história de luta em defesa dos princípios e processos democráticos, foi com a gestão do pai de vocês que tudo começou”.

Além do vídeo, a homenagem contou também com a entrega de placa comemorativa à família que, dentre outros dizeres, expressa o desejo de que a memória de William Saad Hossne “continue nos guiando na construção permanente da Educação, da Ciência, da Tecnologia e, em suma, do mundo com o qual ele sempre sonhou”.

Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1951), Saad Hossne foi um dos fundadores, em 1962, da Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (posteriormente incorporada à Universidade Estadual Paulista, Unesp), da qual recebeu o título de professor emérito, em 1997.

Foi também presidente da Associação Brasileira de Educação Médica (1992 a 1996), fundador da Sociedade Brasileira de Bioética, sendo seu primeiro presidente (1995 a 1998), coordenador da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (1996 a 2007) e coordenador do curso de pós-graduação de Bioética do Centro Universitário São Camilo (2004).

Escreveu, entre outros, os livros Vale a Pena Ser Médico (1985), Experimentação com Seres Humanos (em coautoria com Sonia Vieira, 1987), Antibanquete: Um Contraponto ao Banquete de Platão (2008) e Bioética em Tempo de Incertezas (em coautoria com Leo Pessini e J. E. Siqueira, 2010).

Com assessoria de comunicação da Reitoria da UFSCar

Agência FAPESP