Notícia

A Folha (São Carlos, SP) online

UFSCar amplia as possibilidades de reabilitação para submetidos à cirurgia bariátrica

Publicado em 19 março 2017

Uma pesquisa desenvolvida no Laboratório de Fisioterapia Cardiopulmonar da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está recrutando voluntários que sejam obesos mórbidos e estejam com cirurgia bariátrica programada para participarem de estudo que pretende ampliar as possibilidades terapêuticas aos pacientes submetidos à operação para redução do estômago.

O estudo "Efeitos clínicos, funcionais e sistêmicos da estimulação elétrica corpórea no pós-operatório de cirurgia bariátrica" é realizado por pesquisadores do mestrado, doutorado e pós-doutorado, está vinculado à Fapesp e tem orientação da professora Audrey Borhgi e Silva, docente do Departamento de Fisioterapia (DFSio) da UFSCar. Larissa Delgado André é uma das pesquisadoras e afirma que o pós-operatório desse tipo de cirurgia limita a execução de atividades físicas intensas e, por exigir dieta restritiva, leva também à perda intensa de massa magra. Diante disso, o objetivo da pesquisa é "influenciar a melhora de marcadores inflamatórios mais rapidamente, bem como estimular a maior perda de massa gorda e ganho ou manutenção da massa magra, além de deixar o paciente mais apto para a realização de atividade física, a partir de uma estratégia de intervenção precoce", descreve Larissa.

Os voluntários participarão gratuitamente de aplicação de estimulação elétrica neuromuscular de corpo inteiro. Trata-se de uma pesquisa inédita no Brasil, com o equipamento Miha-BodyTech, importado da Alemanha. Este tipo de eletroestimulador é uma nova tecnologia que permite a ativação muscular simultânea de até 12 grupos musculares, como coxas, braços, nádegas, abdômen, peitoral, parte superior e inferior das costas, com intensidades pré-selecionadas para cada região. Ou seja, cada parte do corpo pode ser estimulada com intensidades diferentes.

Serão realizadas análises anteriores à cirurgia como avaliação da capacidade funcional (pelo teste de caminhada de seis minutos e teste de degrau de dois minutos), teste máximo em esteira ergométrica, coleta de sangue, mensuração de força muscular de membros superiores e inferiores e avaliação de composição corporal. No pós-operatório, devido à intensa restrição alimentar e à limitação para realizar exercícios, os voluntários participarão de exercícios leves, com baixa amplitude de movimento, sem a adição de quaisquer pesos, associados à eletroestimulação.

Os voluntários podem ser homens ou mulheres obesos, com idade entre 20 e 45 anos, com cirurgia bariátrica já programada e que não tenham comorbidades cardíacas graves que impeçam a realização dos testes. O protocolo será realizado por 30 dias e, ao final, as avaliações serão repetidas, e um relatório final será entregue aos voluntários.

Os interessados podem entrar em contato até o mês de setembro de 2017, pelo telefone (16) 3306-6704, no Laboratório de Fisioterapia Cardiopulmonar, de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas.