Notícia

Gazeta do Povo online

UFPR não terá Corredor Cultural para o centenário

Publicado em 09 março 2012

Por Anna Simas

Uma das apostas para a comemoração do centenário da Univer­si­dade Federal do Paraná (UFPR), que ocorrerá dia 19 de dezembro, o Corredor Cultural, não vai ficar pronta a tempo como foi prometido no ano passado. O motivo é que o projeto ainda está em fase de elaboração e discussão com a prefeitura da cidade.

O reitor Zaki Akel Sobrinho ex­­plica que a obra não é simples, pois envolve a modificação da calçada e a adequação de outros espaços públicos. “O Corredor vai acontecer, mas não em 2012. Minha gestão acaba no fim do ano e não quero começar um projeto sem saber como será a continuidade dele”.

Memória de cem agitados anos - A Universidade Federal do Paraná (UFPR) inaugurou ontem a Sala da Memória do Prédio Histórico, localizada na Praça Santos Andrade. O espaço – mais uma das iniciativas em comemoração ao centenário da instituição – reúne 45 imagens da sua história, entre elas da fachada antiga do prédio e de momentos importantes como as manifestações do movimento das Diretas Já, em 1984. Várias autoridades participaram do evento, entre elas professores, alunos, pró-reitores e representantes de diversos setores da sociedade como da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O ex-ministro das Relações Exteriores e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Lafer, também esteve presente e, a convite da UFPR, ministrou a conferência Constitucionalização do Direito Internacional (Antônio More/ Gazeta do Povo)

Memória de cem agitados anos - A Universidade Federal do Paraná (UFPR) inaugurou ontem a Sala da Memória do Prédio Histórico, localizada na Praça Santos Andrade. O espaço – mais uma das iniciativas em comemoração ao centenário da instituição – reúne 45 imagens da sua história, entre elas da fachada antiga do prédio e de momentos importantes como as manifestações do movimento das Diretas Já, em 1984. Várias autoridades participaram do evento, entre elas professores, alunos, pró-reitores e representantes de diversos setores da sociedade como da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O ex-ministro das Relações Exteriores e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Lafer, também esteve presente e, a convite da UFPR, ministrou a conferência “Constitucionalização do Direito Internacional”" title="Antônio More/ Gazeta do Povo / Memória de cem agitados anos - A Universidade Federal do Paraná (UFPR) inaugurou ontem a Sala da Memória do Prédio Histórico, localizada na Praça Santos Andrade. O espaço – mais uma das iniciativas em comemoração ao centenário da instituição – reúne 45 imagens da sua história, entre elas da fachada antiga do prédio e de momentos importantes como as manifestações do movimento das Diretas Já, em 1984. Várias autoridades participaram do evento, entre elas professores, alunos, pró-reitores e representantes de diversos setores da sociedade como da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O ex-ministro das Relações Exteriores e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Lafer, também esteve presente e, a convite da UFPR, ministrou a conferência “Constitucionalização do Direito Internacional”"

Memória de cem agitados anos - A Universidade Federal do Paraná (UFPR) inaugurou ontem a Sala da Memória do Prédio Histórico, localizada na Praça Santos Andrade. O espaço – mais uma das iniciativas em comemoração ao centenário da instituição – reúne 45 imagens da sua história, entre elas da fachada antiga do prédio e de momentos importantes como as manifestações do movimento das Diretas Já, em 1984. Várias autoridades participaram do evento, entre elas professores, alunos, pró-reitores e representantes de diversos setores da sociedade como da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O ex-ministro das Relações Exteriores e atual presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Celso Lafer, também esteve presente e, a convite da UFPR, ministrou a conferência “Constitucionalização do Direito Internacional”

A proposta era transformar o prédio histórico em um espaço cultural, com instalação de teatro, cinema, museu e cibercafé. A intenção era aproveitar a proximidade com o Teatro da Caixa e com o Teatro Guaíra para fazer um perímetro de um quilômetro voltado à cultura. Estima-se que para sua realização seriam necessários entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões.

Em andamento

Outros dois projetos planejados pa­­ra serem entregues no centenário devem cumprir o prazo. Um é a revitalização da fachada do prédio histórico que, embora não te­­nha começado, está prevista pa­­ra terminar em dezembro. Foi criada uma conta na Fun­da­­ção da Universidade Federal do Paraná (Funpar), que segundo o reitor agiliza o processo pa­­ra o recebimento das doações, que precisam chegar a cer­­ca de R$ 2 milhões, custo estimado da reforma. “Estamos com tudo engatilhado para co­­meçar. Acreditamos que até de­­zembro a fachada e a pintura estarão terminadas, assim co­­mo a re­­forma do auditório e a construção de um elevador pa­­ra acesso de cadeirantes, que também fazem parte do projeto”. No dia da inauguração, 19 de dezembro, a cerimônia será no Teatro Guaíra e os convidados caminharão até a universidade para acender as novas lu­­zes, que serão doadas pela prefeitura.

Outro presente de centenário a ser entregue à comunidade acadêmica é o novo campus do Rebouças. A reforma do es­­paço, que foi adquirido em 2008, está avançada, com a biblioteca pronta e aguardando a instalação do mobiliário. “A ideia é fazer a mudança dos cursos de Educação, Psicologia e Turismo para lá no período das férias de verão e que eles possam começar 2013 no campus novo”, diz Akel.