Notícia

Jornal Documento

UFMT assina convênio com o INPI sobre Propriedade Intelectua

Publicado em 14 outubro 2005

No próximo dia 20 de outubro, vem a Cuiabá o vice-presidente do Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI, Jorge de Paula Costa Ávila participar do seminário "Propriedade Intelectual como Instrumento Estratégico para o Desenvolvimento Industrial e Tecnológico" e na oportunidade vai assinar um convênio com a Universidade Federal de Mato Grosso -UFMT para a realização de um curso sobre patentes no final do mês.
O evento será no auditório do Instituto de Ciências Humanas e Sociais -ICHS da UFMT, com abertura às 10h00 e encerramento previsto para às 17h00. A realização é do INPI e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e conta com o apoio da UFMT, do CEFET-Cuiabá, e da SECITEC, além de outras instituições ligadas ao tema.
O Pró-Reitor de Pesquisa da UFMT, professor, doutor, Paulo Teixeira de Sousa Jr; a secretária de Estado de Ciência e Tecnologia do Mato Grosso, Flávia Nogueira; o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Mato Grosso Antônio Carlos Camacho, o diretor Geral do CEFET Cuiabá, professor Ademir José Conte, dentre outras autoridades estarão participando do evento.
Tanto esse seminário quanto o curso de patentes vêm sendo executados em vários estados do país, como exemplo Amazonas e Rio Grande do Sul. Esse tipo de ação visa difundir o conhecimento não só para pesquisadores, institutos, universidades e entidades científicas, mas a comunidade como um todo interessada em ciência e tecnologia.
Recentemente, a terceira edição dos Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação em São Paulo divulgou resultados, referentes ao período de 1998 a 2002, fornecidos pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo — Fapesp. Esses dados mostram que a produção científica brasileira - mensurada pelo número de trabalhos científicos publicados em revistas indexadas - teve crescimento médio anual de 54%, enquanto o crescimento da produção mundial ficou abaixo de 9%.
"No Brasil cerca de 70% da produção científica e tecnológica ainda está vinculada às universidades, enquanto nos Estados Unidos, o maior investidor do mundo em ciência e tecnologia, concentra-se nas empresas privadas, cerca de 79%", afirmou Francisco Landi diretor presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo —Fapesp durante o Fórum Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa em 2004.
Logo após, a assinatura do convênio, o seminário continua com uma vasta programação que se estende com palestras e painéis.
Às 10h50 acontece a Palestra Magna: 'A importância da Propriedade Industrial no Contexto do Desenvolvimento Tecnológico e Industrial', proferida por Jorge Ávila, e no final será aberto debate com a platéia.
No período da tarde Paulo Teixeira será o coordenador do painel 'O Sistema de Propriedade Intelectual: desafios e oportunidades de uso por agentes inovadores'. Nesse mesmo painel, será apresentado "O Potencial de Uso da Propriedade Industrial para a Estratégia Competitiva das Empresas: o desafio da construção de marcas", com Sérgio Barcelos Theotonio, pesquisador da diretoria de Articulação e Informação Tecnológica do INPI e "O Uso da Informação Tecnológica Contida em Documentos de Patente".
O segundo painel será conduzido pelo professor Mayron Augusto B. Oliveira, coordenador de Produção Científica do CEFET - Cuiabá, no qual será apresentado o tema 'Desafios Tecnológicos para a Produção de Biodiesel: A Solução da UFMT', pelo professor e coordenador geral do projeto Evandro Luiz Dall'Oglio, do Departamento de Química que se destacou pelas pesquisas com matéria-prima regional na produção do mesmo.
A realização é do INPI e Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.