Notícia

Paraíba

UEPB abre Intercom Nordeste 2010 com público recorde em evento

Publicado em 11 junho 2010

Da Redação com Ascom

Com a presença de um grande público, composto por centenas de estudantes e profissionais da Comunicação Social de várias cidades nordestinas, teve início na noite da última quinta-feira 10 , no auditório do Garden Hotel, em Campina Grande, o 12º Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste Intercom NE , promovido pela Universidade Estadual da Paraíba.

O evento, que segue até amanhã 12 , aborda a temática Comunicação, Cultura e Juventude .

Compôs a mesa de abertura o vice-reitor da UEPB, Aldo Maciel o presidente da comissão organizadora do Intercom NE, Luis Custódio da Silva a vice presidente da Sociedade Brasileira de Estudos da Comunicação, Nélia Rodrigues Del Bianco o representante do Intercom NE, Moacir Barbosa de Sousa a vice coordenadora do curso de Comunicação Social da UEPB, Fátima Luna o coordenador do curso de Educomunicação da UFCG, Romero Azevedo e o coordenador de Turismo de Campina Grande, Gustavo Pontinelle.

O evento teve início com a exibição de um vídeo sobre a cidade de Campina Grande, que neste mês de junho vem sediando, através da UEPB, três eventos na área de Comunicação: o Encontro de Jornalismo Científico, o Seminário em Folkcomunicação e o Intercom. Logo em seguida, em um momento emocionante, as bandeiras do Brasil, da Paraíba e da UEPB foram conduzidas pela comissão de apresentação de uma tradicional quadrilha junina campinense, enquanto o Hino Nacional Brasileiro era executado pelo sanfoneiro Luan.

O professor Aldo Maciel parabenizou os organizadores do Congresso, sabendo dos desafios, impasses e dificuldades em realizar três eventos, de grande porte, quase simultaneamente.

O curso de Comunicação da UEPB têm se revelado bastante ativo, melhorando cada vez mais os trabalhos que vem efetuando. A Administração Central da UEPB fica bastante satisfeita com os resultados e se dispõe a contribuir com o crescimento de consolidação das atividades acadêmicas da Instituição , revelou.

A solenidade foi encerrada com a apresentação do Grupo de Tradições Populares Acauã da Serra, advindo da UEPB.

Grande participação

Para o organizador do Intercom, professor Luís Custódio, a grande participação de estudantes de Comunicação, representantes de toda a região Nordeste - foram mais de 1.700 inscritos - prova que eles estão comprometidos e preocupados com a discussão sobre o protagonismo juvenil na mídia, como ela vem se comportando em relação aos jovens e de que forma a Comunicação Social trabalha com a juventude.

A solenidade foi encerrada com a conferência Educomunicação: pressupostos epistemológicos e áreas de atuação, ministrada pelo professor da USP, Ismar de Oliveira Soares, e mediada pela professora da UFCG, Sandra Raquew dos Santos Azevedo.

Em sua fala, Ismar de Oliveira, um dos maiores especialistas em Educomunicação no Brasil, com artigos publicados acerca do uso da Comunicação no Ensino Médio, na alfabetização, em trabalhos colaborativos e para a cidadania, entre tantos outros temas, mencionou o uso da Educomunicação como nova metodologia, levada para a sala de aula de maneira a motivar os estudantes.

Cerca de 40% dos jovens brasileiros abandonam os estudos no 2º grau, por não se sentirem motivados. A tecnologia, a produção da cultura e a gestão compartilhada desses processos pelos jovens são recursos que auxiliam bastante na motivação da educação já existente , disse.

Homenagem a José Marques de Melo

Ponto alto da noite, o jornalista e professor doutor José Marques de Melo, um dos maiores escritores de livros e artigos na área de Comunicação Social no Brasil, recebeu, das mãos do vice-reitor da UEPB, Aldo Maciel, o título de professor Honoris Causa, homenagem concedida pela sua grande contribuição com os preceitos da Universidade.

A concessão do título foi uma iniciativa pioneira do Departamento de Comunicação Social DECOM, pela produção de José Marques em conhecimentos na área. Sobre a homenagem recebida, ele afirmou ser uma grande satisfação ser agraciado por uma universidade do interior.

Eu sou do interior, sou sertanejo, e fico muito feliz por esse reconhecimento. O grupo de Campina Grande está mostrando a cara ao Brasil, pois já fez muita coisa, produziu muito. É preciso mesmo colocar a boca no trombone! , elogiou.

José Marques de Melo, que começou a atuar na imprensa antes mesmo de ingressar na universidade, aperfeiçoou seus conhecimentos através da graduação, pós-graduação, doutorado e pós-doutorado, tornando-se um dos maiores escritores na área.

Em entrevista à ASCOM, ele falou a respeito da não exigência do diploma de Jornalistas no Brasil, posicionando-se a favor da luta pela obrigatoriedade do documento.

Sou favorável ao diploma, sempre fui, por isso fui estudar para tê-lo. Não foi uma boa decisão do pessoal do Supremo Tribunal Federal tê-lo eliminado, mas o diploma tem que ter mais conteúdo, não pode ser apenas um papel, ressaltou.

Para ele, na verdade, o diploma não capacita. É técnico e concede a formação básica ao Jornalista. A formação cultural, humanista e profissional é conseguida de outras formas , acrescentou.

Com a experiência de consultor científico da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), José Marques disse que o maior desafio dos pesquisadores na atualidade é empreender trabalhos que sirvam à realidade brasileira.

É preciso parar de fazer pesquisa visando copiar o que vem do exterior. Precisamos descobrir os nossos problemas, utilizando os nossos métodos e dar as respostas que a nossa sociedade está precisando , especificou.

O professor Custódio destacou a relevância da homenagem prestada pela UEPB a José Marques, considerando como um momento extraordinário da Universidade.

A produção científica de José Marques de Melo é algo invejável por todos nós, enquanto estudantes e pesquisadores, pois a fecundidade de sua obra, seu pensamento e criatividade na área da Comunicação, é algo que nos orgulha enquanto brasileiros e nordestinos, já que o professor nasceu no estado de Alagoas , afirmou.