Notícia

FAPEAM - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas

UEA participa do projeto Green Ocean Amazon (GOAmazon)

Publicado em 21 fevereiro 2014

21/02/2014 - A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) participou, na terça-feira (18), no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), do lançamento do projeto Green Ocean Amazon (GOAmazon), que tem como objetivo produzir conhecimento científico sobre a atmosfera, formação de nuvens, precipitação de chuva e medir níveis de poluição na área urbana de Manaus. O projeto é realizado através da parceria entre Brasil e Estados Unidos e investirá R$ 24 milhões em pesquisa.

O coordenador de projetos institucionais da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós Graduação (Propesp) da UEA, Rodrigo Souza, explicou que essa é uma oportunidade de trabalhar na formação de recursos humanos e melhorar a qualidade das pesquisas na UEA. “Através do projeto, alunos e professores poderão fazer intercâmbio sanduíche no exterior, ampliar seus conhecimentos e voltar para desenvolver pesquisas na região amazônica”, disse Souza.

Por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), o Governo do Estado investirá R$ 6 milhões no GOAmazon. A diretora-presidenta da FAPEAM, Maria Olívia Simão, disse que além de ser um espaço importante para a pesquisa climática mundial o projeto é uma oportunidade de adquirir mais conhecimento científico para o Amazonas. “Os alunos vão poder aproveitar muito para interagir com pesquisadores de universidades conceituadas do Brasil e do mundo. É preciso, cada vez mais, formar recursos humanos e adensar pessoas do nosso Estado nesse contexto”, acrescentou Maria Olívia.

Além da FAPEAM, o projeto também é coordenado e financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), que também vai investir R$ 6 milhões. A maior parte do investimento é do Departamento de Energia dos Estados Unidos da América (DOE-EUA), que financiará R$ 12 milhões.

De acordo com o doutor em física da Universidade de São Paulo (USP) e membro do comitê gestor do GOAmazon, Paulo Artaxo, as pesquisas na Amazônia são de extrema importância para o conhecimento estratégico do Brasil sobre a região. “Os dados adquiridos com a pesquisa serão utilizados por estudantes e professores da UEA e USP ao longo dos próximos dez anos”, acrescentou.

Para o diretor em exercício do Inpa, o pesquisador Estevão Monteiro de Paula, o GOAmazon é um projeto inédito pela colaboração entre os países e entre as fundações de amparo à pesquisa (FAPEAM e Fapesp). “ O interessante também é que mesmo durante a execução do projeto teremos a formação de mestres e doutores qualificados”, completou.

O projeto possui cinco sítios de pesquisa instalados em locais estratégicos. Um dos sítios fica localizado no Bosque da Ciência, outro na Fazenda Exata em Manacapuru, um terceiro no sítio do Observatório com Torre Alta da Amazônia (Projeto ATTO), localizado na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, outro no hotel Tiwa em Iranduba e o último, na Reserva do Cuieiras do Inpa.

Além dos sítios de pesquisa, também serão utilizadas duas aeronaves e dois balões cativos que servirão para coletar dados adicionais.

Fonte: UEA