Notícia

PressFloripa

Udesc realiza mostra internacional de flauta doce de 17 a 20 de outubro

Publicado em 14 outubro 2013

A flauta doce, instrumento cuja performance e repertório abrangem 2.500 anos, estará em evidência no Centro de Artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) entre os dias 17 e 20 de outubro, quando será realizado o evento AULOS: 1ª Mostra Internacional de Flauta Doce – Performance e Didática.

Flautistas de renome internacional integram a programação do evento, como o suíço Conrad Steinmann – concertista em diversos países e intérprete e recuperador da flauta antiga grega Aulos. Setenta pessoas já estão confirmadas para participação na mostra, de nove estados brasileiros: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Ceará e Piauí.

O evento tem como objetivo a formação de professores que atuam no ensino da flauta doce nas escolas, em diálogo com a pesquisa sobre a performance deste instrumento.

“O evento porá em evidência a versatilidade da flauta doce, considerado há quase um século o instrumento nuclear, a célula tronco do ensino musical escolar e da performance da música antiga e também da música contemporânea, neste momento de extrema importância nacional que aponta para a ampliação, para o aprofundamento e o aperfeiçoamento do ensino de música no Brasil”, afirma a professora Valeria Bittar, coordenadora do evento.

Programação

Concertos, mesas redondas, oficinas e apresentações de trabalhos estão previstos na programação do evento. A mostra homenageará o flautista Conrad Steinmann, que fará um concerto solo de música grega da antiguidade clássica no dia 18 de outubro, às 20h30 na Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição.

Outros dois flautistas realização concertos na mostra: Cesar Villavicencio, de São Paulo, doutor em música na Universidade de East Anglia (Inglaterra), se apresenta no dia 17, às 20h30, na Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, com músicas da idade medida ao século XXI; e o catarinense Luís Beduschi, doutorando em musicologia na Universidade Paris IV - Sorbonne (Paris), se apresenta no dia 19 de outubro, às 21h, no Museu Histórico de Santa Catarina, com música para flauta doce do século 18.

Cinco mesas redondas estão programadas para a mostra, com a presença de professores e pesquisadores de diversas universidades brasileiras. Cinco oficinas também serão realizadas no evento: Danças da Renascença; Reflexões e experiências sobre a didática da flauta doce na escola; Composição contemporânea para flauta doce; e duas oficinas sobre performance de flauta doce, sendo uma voltada ao repertório contemporâneo do instrumento e improvisação, e a outra sobre o repertório do século XVII, a construção e sonoridade da flauta doce.

Inscrições

As inscrições para participação nas oficinas, mesas redondas e para assistir as apresentações de trabalhos são gratuitas, abertas ao público, e podem ser realizadas pela ficha de inscrição disponível no site www.ceart.udesc.br/aulos. Já para os concertos, também gratuitos e abertos ao público, não é necessário realizar inscrição.

Organização

A 1ª Mostra Internacional de Flauta Doce conta com organização da flautista Valeria Bittar, professora do Departamento de Música, do programa de extensão Música e Educação (MUSE), e doda Udesc. O evento tem apoio do Governo Federal, por meio do Ministério da Educação e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e do Governo do Estado de Santa Catarina, por meio do Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc).

Serviço

O QUÊ: AULOS: 1ª Mostra Internacional de Flauta Doce – Performance e Didática

QUANDO: 17 e 20 de outubro

LOCAL: Centro de Artes da Udesc (Av. Madre Benvenuta, nº 1907, Florianópolis/SC)

Inscrições gratuitas pela ficha de inscrição disponível no site da Udesc Ceart

www.ceart.udesc.br/aulos

-------------------------------------

Concertos

17 de outubro – 20h30

Concerto de abertura com Cesar Villavicencio

“Música para a Flauta Doce da Idade Média ao século XXI”

Local: Igreja da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, Rua Francisca L. Vieira, 277 Lagoa da Conceição

Entrada gratuita

18 de outubro – 20h30

Concerto com Conrad Steinmann: “aulós/rhómbos/kýmbala/música - Música grega da antigüidade clássica e seus desdobramentos”

Local: Igreja da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, Rua Francisca L. Vieira, 277 Lagoa da Conceição

Entrada gratuita

19 de outubro – 21h

Concerto com Luis Beduschi

“Música para Flauta Doce do século XVIII”

Local: Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 – Centro

Entrada gratuita

Oficinas

• Danças da Renascença - Prof. Mário Orlando. Msc. (UFF)

• Performance de Flauta Doce (repertório contemporâneo da flauta doce e improvisação) - Prof. Dr. Cesar Villavicencio (UNESP)

• Performance de Flauta Doce - (o repertório do século XVII, a construção da flauta doce, a sonoridade e o voicing do instrumento) - Prof. Me. Luis Beduschi

• Reflexões e experiências sobre a didática da flauta doce na escola (o repertório dirigido ao ensino musical escolar e os materiais didáticos) - Profa. Dra. Tereza Castro (UFOP)

• A Composição Contemporânea para Flauta Doce - Prof. Dr. Liduíno Pitombeira (UFCG)

Sobre os concertistas

Conrad Steinmann

Nasceu na Suíça em 1951. Estudou flauta doce na Schola Cantorum Basiliensis com Hans Martin Linde. Vencedor do 1o. Concurso Internacional de Flauta Doce de Brügge, Bélgica. Foi professor na Academia de Música de Zurique, Suíça, entre os anos 1975 e 1982. Desde 1982 é docente na Sachola Cantorum Basiliensis, Suíça. Em 1991 foi-lhe concedido o Prêmio de Arte da Fundação Ernst de Winterthur, Suíça. Como concertista atua em todos os centros europeus, incluindo Moscou. Também apresenta-se no Japão e com freqüência no Oriente Médio e Austrália, sobretudo com os grupos musicais Ensemble 415 , London Baroque, e com o conjunto de flautas doce Diferencias.

Curador e organizador dos Encontros Internacionais com a Flauta Doce (Encontro Suíça – Europa Oriental, 1993; Incontro com a Itália, 1997; Mundo Árabe Jadal em Basiléia e Cairo, setembro 2001). Como performador da flauta AULOS, expressa um envolvimento singular para com a música da Antigüidade grega. Desenvolve trabalho intenso em conjunto com o construtor de instrumentos Paul J. Reichlin, do qual os fundamentos de reconstruções destes instrumentos são para Steinmann fonte para uma nova imaginada música dos séculos V e VI antes de Cristo.

Com o seu conjunto Melpomen, trabalhou três programas: Melpomen, Olympionikais oder Pindars Oden – para o encerramento dos Jogos Olímpicos de Atenas em 2004 e o programa Sappho. O CD Melpomen Ancient Greek Music (Harmonia Mundi 905263) foi premiado peloDiapason D´Or. O segundo CD, Sappho and her time, contendo músicas do século VI a. C., foi editado pelo selo Sony. Recebeu bolsa da Fundação Stavros Niarchos – Stiftung.

Luís Beduschi

Graduou-se em flauta doce, com master em performance da música medieval e renascentista na Schola Cantorum Basiliensis, Suíça. Atualmente finaliza seu doutorado em musicologia sobre ornamentação na música para flauta doce nos séculos XVII e XVII na Universidade Sorbonne IV.

Gravou vários CDs com repertório que se estende da música medieval até a música contemporânea brasileira. Em 2005, a gravação integral dos Concertos Brandenburgueses de Bach com o grupo Swiss Baroque Soloists para o selo Naxos, onde ele é o solista das partes de flauta doce, foi nominado para o Grammy Awards. Lança, em 2013 o CD com as Sonatas de Arcangelo Corelli.

Desde 1999, Beduschi atua regularmente como pedagogo, na Schola Cantorum Basiliensis, na Suíça, e na Musikhochschule Freiburg, na Alemanha. Também atua como concertista e pedagogo na Europa, nos Estados Unidos, na América Latina e na Nova Zelândia em salas prestigiadas como o Carnegie Hall, em Nova York; The Library of Congress, em Washington; l’Opéra de Paris; Théâtre Du Châtelet, Salle Gaveau, em Paris; Konzerthaus de Viena, Opernhaus de Zurique, Teatro Michailevsky de São Petersburgo, Festspielhaus de Salzburg, entre outros espaços.

Cesar Villavicencio

Pesquisador e intérprete da música dos séculos XVI, XVII, XVIII, música contemporânea e improvisador, possui doutorado em Música – University of East Anglia (2008), Inglaterra – com a tese “The Discourse of Free Improvisation”. Concluiu pós-doutorado na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo como bolsista da FAPESP (2012). Realizou estudos de Bacharel em Música em São Paulo. Em 1998 obteve, com distinção, o Diploma de Solista no Conservatório Real de Haia, Holanda, o mais alto grau de formação oferecido por essa instituição.

Foi professor convidado no Conservatório Real de Haia (2001-2004) e atualmente está vinculado como professor substituto ao Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (UNESP). Trabalha regularmente com meios eletrônicos para a performance de música. Entre 1996 e 2000 desenvolveu junto do Instituto de Sonologia do conservatório de Haia, e com apoio da bolsa Virtuose do Ministério da Cultura, uma flauta contrabaixo com a qual é possível processar sons ao vivo (a e-recorder).

Seu trabalho junto de compositores rendeu seis obras novas para a flauta doce. Em 2009 gravou junto do maestro Ricardo Kanji um CD com duos de flauta doce com o Prêmio de Gravação de Disco Inédito do Programa de Ação Cultural (PROAC) da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. De 2003 a 2010 foi professor de flauta doce na Oficina Internacional de Música de Curitiba. Tem participado também como docente em diversas edições do Festival de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora e da Semana de Música Antiga de Belo Horizonte, MG. Como pesquisador apresenta regularmente trabalhos no Brasil e no exterior assim como ministra cursos de curta duração e palestras.

Realiza regularmente concertos com o recém fundado grupo As Flautas de São Paulo. Com a e-recorderrealizou concertos com Richard Barrett, Evan Parker, Jonathan Impett, Paul Dunmall, Simon Rose, entre outros. Participou de concertos e gravações integrando a Amsterdam Baroque Orchestra sob a direção de Ton Koopman. Como pesquisador, orientou projetos e apresentou trabalhos no Conservatório Real de Haia, Holanda, na Universidade da California em San Diego, Universidade da California em Santa Barbara, Universidade de Nevada em Las Vegas (Estados Unidos) no Centro Mexicano para la Música y Artes Sonoras(CMMAS), na USP, UNESP, UNIRIO, UFPB, UFPE, UFU e UNICAMP.

Fonte: Udesc Ceart