Notícia

Canal do Ensino

Tutorial de preenchimento do currículo Lattes

Publicado em 12 dezembro 2018

Por Rita Macedo

Canal do Ensino

Olá, leitor!

Você já ouviu falar da Plataforma Lattes? Apesar de ser um dos portais mais importantes para profissionais no Brasil, muitas pessoas desconhecem o site.

O CNPq (Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), criou o currículo Lattes, disponível na Plataforma Lattes e cujo objetivo é padronizar e organizar todos os currículos no território brasileiro.

O que é a Plataforma Lattes?

Foto: Reprodução

Para entender um pouco mais sobre o currículo Lattes, é preciso compreender o que é a Plataforma Lattes.

Inicialmente, o site tinha o objetivo de realizar gestão e planejamento apenas dos bolsistas do CNPq. Entretanto, a expansão do portal fez com que ele fosse usado por agências de fomento, instituições de ensino e fundações de apoio à ciência e tecnologia.

Outra função da plataforma é, por meio das informações de seu banco de dados, permitir que o Ministério de Ciência e Tecnologia, e outros órgãos governamentais, formulem novos projetos para a área da educação.

Assim, o currículo Lattes se tornou o documento padrão para estudantes e pesquisadores, sendo utilizado por instituições como FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), USP, UNIFESP e UNICAMP.

A Plataforma Lattes traz também o Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, inventário dos grupos em atividade que mostra:

linhas de pesquisa os setores de atividade envolvidos;

produção científica, tecnológica e artística;

recursos humanos constituintes dos grupos;

padrões de interação com o setor produtivo;

especialidades do conhecimento.

Também há o Diretório de Instituições, no qual estão registradas todas as entidades e organizações que possuem algum tipo de relacionamento com o CNPq, tais como:

instituições onde os grupos de pesquisa estão abrigados ou usuárias de serviços prestados pela agência;

instituições nas quais os estudantes e pesquisadores apoiados pelo CNPq desenvolvem suas atividades;

instituições que desejam participar desses programas e serviços.

Com o intuito de oferecer maior confiabilidade e transparência, os dados presentes na Plataforma Lattes são disponibilizados para o público, fortalecendo a relação entre as instituições e os pesquisadores e sendo uma fonte rica para estudos.

Essa também foi uma forma de preservar a memória das atividades de pesquisa realizadas por brasileiros, uma vez que as informações cadastradas na plataforma são cumulativas.

Por sua grande importância, os alunos se inscrevem na plataforma ainda nos primeiros anos de faculdade, dando os passos inicias para conseguir uma bolsa de iniciação científica, mestrado ou doutorado.

História do currículo Lattes

A ideia para a criação do currículo Lattes surgiu por volta da década de 1980, com o objetivo de acompanhar de maneira padronizada as atividades científicas realizadas no país. Os cadastros inicialmente eram feitos em papel e pela rede BITNET, sistema que antecedeu a internet brasileira.

Em 1999, foi lançada a Plataforma Lattes e, a partir de então, o Brasil se tornou referência na catalogação de registros acadêmicos. Desde 2002, é obrigatório o cadastro de pesquisadores brasileiros na plataforma.

O site cresceu e hoje é usado gratuitamente por países como Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Moçambique, Peru e Portugal.

Ferramentas da Plataforma Lattes

A Plataforma Lattes é usada como banco de dados para registros de currículos acadêmicos, além de permitir o acesso e a análise de informações, por meio de um serviço chamado Lattestats. Para facilitar o levantamento dos dados, as consultas podem ser realizada com os filtros de distribuição geográfica, atividade e titulação.

Outro serviço oferecido pela plataforma é o Lattes Extrator, que tem a função de auxiliar as instituições a fazerem buscas detalhadas sobre pesquisas desenvolvidas em seus laboratórios. Para que essa ferramenta possa ser utilizada, as instituições precisam realizar uma solicitação formal. Vale ressaltar que o acesso a esses dados são fornecidos apenas para:

Agências de fomento à pesquisa – da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;

Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT);

Entidades controladas direta ou indiretamente pela União;

Instituições de ensino superior.

Quem pode usar o currículo Lattes?

O currículo Lattes é obrigatório para pesquisadores que têm a intenção de seguir carreira acadêmica. Por conta de seu alcance nacional e internacional, esse documento oferece maior visibilidade e facilita o contato entre estudiosos e instituições.

Tutorial para preenchimento do currículo Lattes

O currículo Lattes é muito detalhado, portanto, é preciso estar atento durante seu preenchimento. Além de informações pessoais básicas, como nome, identidade e filiação, é necessário especificar dados como formação acadêmica, idiomas (destacando os níveis de compreensão em fala, escrita e leitura), atividade de trabalho, artigos publicados e participação em eventos.

Acompanhe agora o passo a passo para completar seu currículo Lattes:

1) Acesse a plataforma clique em “cadastrar novo currículo”.

2) Preencha os campos com nacionalidade, e-mail e senha.

3) Também será preciso fornecer o resumo de suas qualificações. Escreva de forma objetiva e destaque suas principais realizações acadêmicas até o momento.

4) Essa página deve ser preenchida com informações pessoais. Confira todos os dados antes de prosseguir.

5) Agora, você terá que escrever sobre sua formação acadêmica, incluindo nome do curso, da instituição e ano de início e conclusão. Verifique as informações e avance.

6) Nessa tela, forneça dados a respeito de sua experiência no mercado de trabalho, área de atuação, idiomas e nível de proficiência. Confira as informações e clique em “próxima”.

7) O sistema mostrará todos os dados cadastrados. Revise tudo que você escreveu, corrija o que for necessário, aceite o termo de adesão da plataforma e clique em “enviar ao CNPq”. Em até 24 horas, você terá seu currículo Lattes publicado no site

Uma homenagem a César Lattes

Você sabe de onde vem a palavras Lattes?

Quando alguém vai se candidatar a uma vaga de emprego, é comum enviar o curriculum vitae, cujo nome tem origem no latim e significa “trajetória de vida”. Nesse documento, estão contidas as experiências profissionais da pessoa.

O nome Lattes, por sua vez, é uma homenagem ao físico curitibano, e descendente de italianos, Césare Mansueto Giulio Lattes, mais conhecido como César Lattes, que contribuiu significativamente para a comunidade científica.

César descobriu o méson p, ou píon, partícula localizada entre o elétron e o próton que trouxe avanços para o conhecimento da estrutura atômica e de radiação, e foi um dos incentivadores da criação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), inaugurado em 1951.

O pesquisador passou por várias universidades e institutos, no Brasil e no mundo, realizando parcerias importantes para a área da física, como o projeto da estação meteorológica de Chacaltaya, na Bolívia.

Nessa estação, César Lattes estudou a radiação cósmica, com o objetivo de buscar conhecimento a respeito das interações e emulsões nucleares. Esse projeto existe até os dias atuais, mantido pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Qual a diferença entre o currículo Lattes e o curriculum vitae?

Como você pode perceber, o currículo Lattes tem características acadêmicas. E o curriculum vitae? O que o torna diferente do currículo Lattes?

Apesar de ser muito utilizada no meio científico, não são apenas pesquisadores já formados, com mestrado e doutorado, que se cadastram na Plataforma Lattes. Estudantes de todas as áreas do conhecimento também devem ter seus dados acadêmicos registrados no site.

No currículo Lattes, você pode inserir informações sobre sua vida acadêmica e científica de maneira bastante completa, incluindo dados que vão desde seu histórico escolar até grupos de pesquisa dos quais você participou na faculdade, palestras e congressos que apresentou ou assistiu e prêmios conquistados.

Por isso, a plataforma se transformou em padrão nacional e global no registro da vida acadêmica dos brasileiros, além de incentivar a conquista de bolsas de estudo e a pesquisa.

Curriculum Vitae

Se você não atua na área acadêmica, o currículo mais aceito pelas empresas é o curriculum vitae, ou CV. Nesse documento, você insere dados pessoais, formação acadêmica e experiências profissionais.

Diferente do currículo Lattes, o curriculum vitae é mais simples, não exigindo tantos detalhes e variando de acordo com as experiências e cursos que a pessoa possui.

Existem empresas que fornecem um “formulário padrão”, mas se você precisar montar seu curriculum vitae, não se esqueça de relatar suas experiências de maneira sucinta, clara e completa, pois esse documento é o 1° passo para conseguir uma vaga de emprego. Lembre-se de que, por meio do currículo, você estará “vendendo” sua imagem. Portanto, faça isso da melhor forma possível.

O formato dos 2 modelos de currículo

Outro fator que diferencia o currículo Lattes do curriculum vitae é o formato. O currículo Lattes possui uma plataforma exclusiva em que são inseridas as informações de maneira padronizada, portanto, o usuário não tem que se preocupar com a formatação quando for desenvolve-lo.

Além disso, o currículo Lattes está ligado ao site da Receita Federal, logo, as informações ali presentes devem ser comprovadas, dificultando a ocorrência de fraudes. Por essa razão, se você, por exemplo, participou de um congresso ou recebeu uma premiação, mas não possui certificado, esses dados serão irrelevantes para o desenvolvimento de seu cadastro na plataforma.

Por sua vez, o curriculum vitae varia bastante. Se você fizer uma busca na internet, vai encontrar diversos modelos que poderão ser preenchidos de acordo com suas necessidades. E, embora seja recomendado possuir todos os diplomas e certificados, não ter esses documentos não te impedirá de incluir informações no CV.

Agora que você sabe as diferenças entre os modelos de currículo, já pode utilizar o tipo mais adequado para seus objetivos profissionais.

O que não devo fazer no meu currículo?

O currículo é o seu cartão de visitas. É a 1 ª impressão que a empresa ou instituição tem ao entrar em contato com suas informações. Por isso, não faz diferença se você usa o currículo Lattes ou o curriculum vitae, você estará se “vendendo” por meio desses documentos e deve fazer isso da melhor maneira possível.

Veja agora algumas regras que você precisa seguir para elaborar o currículo ideal:

Não use fotos descontraídas ou informais. Isso pode passar uma impressão negativa para o contratante e você poderá perder uma oportunidade de trabalho por ter usado a foto errada.

Não minta. Lembre-se de que na Plataforma Lattes você deve comprovar todas as informações que inserir no sistema. Já no curriculum vitae, o entrevistador pode testar as habilidades que você afirmou ter no documento.

Não omita nenhum tipo de informação. Se você está na faculdade ou já trabalha no horário oferecido pela empresa, não esconda esse dado. Isso pode te prejudicar durante o processo seletivo.

E então? O que você achou do nosso resumo sobre currículo Lattes? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Para saber mais sobre esse tipo de currículo, clique aqui!

Até a próxima!