Notícia

Diário do Rio Claro online

Tremor do Japão é registrado pela estação de sismologia da Unesp

Publicado em 12 março 2011

Por volta das 15h de sexta-feira (11) - 3h horário de Brasília -, um forte terremoto atingiu a costa nordeste do Japão.

No entanto, o abalo foi registrado pelos equipamentos da estação de sismologia da Unesp Rio Claro, vinte minutos depois do tremor. Não foi possível sentir o abalado no Brasil, mas as informações são importantes para a pesquisa.

O epicentro foi no Oceano Pacífico a 130 km da península de Ojika, no Japão, a uma profundidade de 24 km, considerada baixa. O terremoto desencadeou um tsunami com ondas de até 10 metros de altura, atingindo, sobretudo, a cidade de Sendai, na ilha de Honshu.

O tremor foi o 7º pior da história, segundo o Serviço Geológico dos EUA (USGS), e, também, o pior já registrado na história do Japão.

Estação

Utilizada por pesquisadores do Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE) da Unesp para o estudo da estrutura da crosta terrestre da região, a estação, ao lado das da USP, em São Paulo, e da UnB, em Brasília, é uma das poucas permanentes instaladas no Brasil.

Foi construída com recursos da Fapesp, em outubro de 2002, com custo aproximado de R$ 80 mil, com o objetivo de se conhecer melhor a estrutura geológica da região. Os sensores da estação geram sismogramas diários dos tremores detectados em todo o mundo que vão formando um histórico dos episódios.

(EPTV e Unesp)