Notícia

Unesp

Treino musical pode aumentar capacidade de memória em crianças

Publicado em 26 agosto 2013

Trabalhos sobre relações entre treino musical e capacidade de memória operacional em crianças, de Flávia Heloísa Dos Santos, professora da Unesp de Assis, do Laboratório de Neuropsicologia, e Fabiana Ribeiro, bolsista de Iniciação Científica da Fapesp, receberam premiações em congressos desde 2010.

Congresso Brasileiro de Neuropsicologia

Um deles foi o de Melhor Pôster na área de Infância intitulado “Existem efeitos do treino musical sob a capacidade da memória operacional em crianças?”, no XI Congresso Brasileiro de Neuropsicologia, realizado em outubro de 2011.

O trabalho aponta que há evidências de que o treino musical pode ativar áreas cerebrais homólogas àquelas referentes à memória operacional e ainda influenciar em seu funcionamento, contudo há poucos estudos sobre o efeito do treino musical sob capacidade da memória operacional.

O objetivo foi avaliar o desempenho de crianças de 9 e 10 anos de idade praticantes de treino musical e sem experiência musical em tarefas de memória operacional. Participantes: Crianças Iniciantes (n=20), isto é, recém inseridas no treino musical, Veteranas (n=20), com um ano de treino musical e Grupo Controle (n=20), sem experiência prévia em treino musical.

Foram utilizados instrumentos computadorizados para avaliação da memória operacional (AWMA; Avaliação Automatizada da Memória Operacional e BCPR; Teste de Repetição de Pseudopalavras para crianças brasileiras).

As crianças veteranas apresentaram melhores resultados em seis subtestes da AWMA (Recordação de Dígitos, Matriz de Pontos, Discriminação de Formas, Memória para Labirintos e Recordação de Pseudopalavras).

As pesquisadoras concluem que, embora o estudo seja preliminar, o treino musical parece ter contribuído para o desenvolvimento da memória operacional em crianças veteranas no programa de treino musical.

Congresso Multidisciplinar de Transtornos de Aprendizagem e Reabilitação

As autoras também receberam a premiação Melhor Pôster com a pesquisa intitulada “O Treino Musical Pode Ampliar a Capacidade da Memória Operacional?” no III Congresso Multidisciplinar de Transtornos de Aprendizagem e Reabilitação, realizado em agosto de 2010, em São Paulo, SP.

O projeto argumenta que a memória operacional contribui para a eficiência de habilidades como raciocínio lógico, compreensão e leitura. Há evidências de que a musicalização favorece o desenvolvimento cognitivo, atencional, da memória e agilidade motora.

Entretanto, pouco se sabe dos efeitos da musicalização sobre o desenvolvimento da memória operacional. O estudo teve como objetivo verificar se as crianças experientes em musicalização apresentam ganhos na capacidade da memória operacional após um ano de estimulação.

Os participantes foram crianças matriculadas no curso de musicalização (N=10), de idade entre 9 e 10 anos, de ambos os sexos, matriculadas nas 4as e 5as séries do ensino fundamental, sem diagnósticos neurológicos e/ou psiquiátricos. A musicalização consistiu de estimulação por teclado, voz e corpo. Todas as crianças realizaram avaliação pré-teste e pós-teste após doze meses com instrumentos que avaliam a memória operacional (AWMA; Automated working memory assessment e BCPR; Brazilian children’s test of nonword repetition).

As crianças experientes em musicalização apresentaram no pós-teste escores mais altos que seus respectivos pré-testes para os subtestes da AWMA: Julgamento de Frases (t= -2,03, p=0,05); Discriminação de Formas (t= -3,44; p=0, 002); Recordação de Contagem (t= -2,58; p=0,01); Recordação de Pseudopalavras (t=-2,14; 0,04) e Span espacial (t= -7,61; p=0,0000004).

Embora o estudo seja preliminar, o resultado sugere que o treino musical ampliou a capacidade da memória operacional, contudo, ainda não se sabe se este ganho é igual ou superior ao desenvolvimento associado à idade.

Assessoria de Comunicação e Imprensa