Notícia

Meio Norte

Trabalhadores idosos mantêm produtividade

Publicado em 29 dezembro 2018

Uma pesquisa conduzida a cada dois anos, em 27 países da Europa e em Israel, vem desfazendo alguns mitos sobre o impacto do envelhecimento da população na economia.

Os resultados colhidos desde 2004 mostram que trabalhadores mais velhos não são menos produtivos e que a manutenção deles no mercado não cria desemprego para os jovens. Ao mesmo tempo, a aposentadoria não necessariamente leva a uma melhora na saúde das pessoas.

Os dados foram apresentados por Axel Börsch-Supan, pesquisador do Instituto Max Planck para Lei e Política Social, em palestra no Frontiers of Science Symposium FAPESP Max Planck, organizado pelo Instituto Max Planck e pela FAPESP.

Börsch-Supan é coordenador-geral da iniciativa, chamada de SHARE (Pesquisa de Saúde, Envelhecimento e Aposentadoria na Europa, na sigla em inglês) e composta por longos questionários, com as mesmas pessoas ao longo do tempo, a fim de entender como trabalho, saúde e renda são afetados pelo aumento do número de pessoas com mais de 65 anos.

“O envelhecimento da população é o desafio do século 21. Em 2050, haverá muito mais pessoas velhas do que jovens na Europa. Isso cria todo tipo de problema. Será caro pagar as aposentadorias e os jovens de hoje é que vão pagar por isso, querendo ou não”, disse o pesquisador.