Notícia

DCI

Testes clínicos de vacina contra dengue aguardam voluntários

Publicado em 07 outubro 2013

BAURU - O Instituto Butantan e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) anunciaram na semana passada o início do recrutamento de voluntários para os testes clínicos de uma vacina tetravalente contra a dengue - ou seja, que ofereça proteção contra os quatro tipos de dengue conhecidos (1, 2, 3 e 4). Segundo reportagem da Agência Fapesp, a vacina, composta por vírus vivos atenuados, foi criada por pesquisadores do National Institutes of Health (NIH), dos Estados Unidos, onde passou por testes bem-sucedidos em animais e em humanos - demonstrando ser segura, com poucos efeitos colaterais (dor e vermelhidão local, em alguns casos) e eficiente na indução da produção de anticorpos após a administração de uma única dose.

"Por meio de uma parceria, o NIH disponibilizou o produto para a produção no Instituto Butantan e para testes em humanos no Brasil. Com isso, a vacina será testada, pela primeira vez, em uma região endêmica, onde a dengue é um problema de saúde pública de extrema relevância", afirmou Alexander Precioso, diretor da Divisão de Ensaios Clínicos e Farmacovigilância no Instituto Butantan. "Os pesquisadores americanos comprovaram ainda que mosquitos transmissores da dengue não são capazes de disseminar o vírus atenuado na vacina, transmitindo a doença a partir de picadas em pessoas imunizadas com a vacina", disse.

Esper Kallás, professor associado de Imunologia Clínica e Alergia da FMUSP e coordenador dos testes que serão realizados no Hospital das Clínicas da universidade afirmou que, nesse momento, o objetivo é confirmar os resultados obtidos nos EUA.

"A fase de desenvolvimento clínico é certamente a mais desafiadora e complexa, mas acreditamos ter um produto promissor em mãos", disse o pesquisador. "Há vacinas contra a dengue em fase de produção por outras companhias. Mas, até o momento, elas têm exigido mais de uma dose de aplicação, enquanto os resultados iniciais da vacina que vamos testar apontam para uma dose única".

AGÊNCIAS