Notícia

Jornal da Tarde

Teste simples detecta surdez em Recém- Nascidos

Publicado em 26 junho 2000

De cada mil crianças, uma possui problemas auditivos. A química Edi Lúcia Santorato, mestre e doutora em Genética Médica da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), desenvolveu um teste simples e barato para detectar problemas de audição em recém-nascidos. Dificilmente a surdez é constatada antes que a criança complete 2 anos e até essa idade a criança já pode ter sofrido prejuízos pela falta de estímulos cerebrais relacionados com a fala que irão prejudicá-la. Segundo dados mundiais, de cada mil crianças, uma nasce com problemas de audição e 60% dos casos são causados por problemas genéticos. No Brasil, as maiorias dos casos têm causas não-genéticas, como rubéola, meningite e falta de oxigênio na hora do parto. O teste financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e desenvolvido no Centro de Biologia Molecular e Engenharia Genética (Cbmeg) da Unicamp, detecta um dos problemas genéticos mais comum relacionado à surdez: a mutação do gene 35delG. De cada cem crianças no Brasil, uma apresenta a mutação. Porém, o aparecimento da mutação não significa que a criança terá problemas auditivos, mas sim, que existe uma maior probabilidade de ocorrer. "A grande vantagem do teste é que ele é feito em poucas horas, com apenas uma gota de sangue do bebê. E, detectada a mutação, é possível orientar os pais da criança para a sua reabilitação", explica Edi. O projeto, que contou com a ajuda da médica Andréa Trevas Maciel Guerra e da coordenadora do Centro de Hematologia e Hemoterapia, Joyce Maria Annichino-Bizzacchi, pretende mapear as maternidades de diferentes lugares do Brasil.