Notícia

Jornal da Tarde

Ter um site é tarefa menos complicada do que parece

Publicado em 30 janeiro 2003

Por ANDRÉ BUENO
Se você é um profissional liberal ou o dono de um pequeno negócio e ainda não entrou na internet, pode estar perdendo dinheiro. O motivo é simples: cada vez mais a rede vem sendo usada como meio de localizar serviços e produtos no mundo real. Isso quer dizer que até advogados, médicos, eletricistas e chaveiros - profissionais que, pelo menos em tese, não têm nada a vender online - podem se beneficiar criando páginas próprias na Web. Mal ou bem, esses sites de apresentação informam o tipo de serviço prestado pelo profissional, sua área de especialização, seu endereço, seu horário de atendimento e os meios de contato (telefone, e-mail). Além de serem simpáticos, são um serviço para o consumidor e garantem que o profissional não passará em branco em uma busca na internet. Criar um site é tarefa simples e (em alguns casos) barata. Envolve, basicamente, três etapas: 1) produzir as páginas e imagens do site, atividade fácil até para quem não entende de programação por causa dos softwares e assistentes de criação de hoje; 2) inserir o material na Web, em um computador conectado 24 horas à rede; e 3) registrar o domínio (endereço fixo, com o nome do seu site) na Web. PRODUÇÃO DAS PÁGINAS E IMAGENS Sites populares como GeoCities, Tripod e hpG têm "assistentes de criação de sites" que permitem montar páginas básicas em um passo-a-passo: escolhe-se cores, textos, logotipo e fotos do site pela Web. O mesmo princípio também é usado no site Miracula (www.miracula.com), que oferece lojas virtuais prontas que só precisam ser adaptadas. Elas permitem que o internauta envie fotos e descrições de seus produtos para vender online. A loja E-Comics (www.ecomics.com.br), que vende quadrinhos raros online, utiliza esse serviço, que custa a partir de R$ 270 mensais. Quem deseja mais liberdade de criação pode usar softwares de edição em HTML (linguagem de marcação de hipertexto), que estão cada vez mais eficientes. Dreamweaver, Frontpage e Netscape Composer são algumas das opções mais populares, tão fáceis de usar quanto um processador de textos como o Microsoft Word. Um truque simples, para quem deseja criar somente uma página de apresentação e não quer entrar em programação ou no aprendizado de um software, é salvar a página de um site que se queira usar como referência e fazer modificações nesse documento. Ou seja, adapta-se um visual pronto às suas necessidades. Essa técnica, porém, só vale se o resultado final ficar bem diferente do site original, caso contrário poderá ser interpretado como rio. HOSPEDAGEM E REGISTRO DE DOMÍNIO Uma vez criado o material do site, o próximo passo é transferi-lo para um servidor que fique 24 horas conectadas à rede, para que possa ser consultado por qualquer pessoa. Várias empresas oferecem esse serviço, conhecido como hospedagem. Para quem não tem necessidade de um domínio próprio (endereço com o nome de sua empresa), existem serviços gratuitos como o hpG, o GeoCities, o VilaBOL e o Tripod, que permitem que o usuário armazene um número específico de megabytes em troca de anúncios do provedor nas suas páginas. Como muitas empresas não aceitam anúncios de terceiros nos seus sites, acabam contratando serviços de hospedagem pagos - como LocaWeb, DigiWeb e RogerLe - que não impõem sua publicidade e permitem que a empresa adote linguagens de programação avançadas (como CGI, ASP e JavaScript), que tornam o site mais interativo e atraente, além de bancos de dados. Outra vantagem importante dos serviços pagos é que eles aceitam que as companhias utilizem domínios próprios - ou seja, que apareçam com sua identidade na Web em vez de darem à impressão de serem meros prolongamentos do endereço de um provedor (www.provedor.com.br/empresa). No Brasil, o único órgão responsável pelo registro de domínios é a Fapesp, que cobra R$ 30 anuais pelo serviço. Para registrar o nome de sua empresa, o primeiro passo é consultar a base de dados da Fapesp (www.registro.br) para verificar se o domínio já não está tomado (restam poucas palavras sem registro hoje). Para registrar domínios no exterior (terminações com, net, etc.), consulte o site da Network Solutions (www.networksolutions.com), em inglês.