Notícia

DCI online

Tecnologia nacional para tratar icterícia

Publicado em 14 junho 2016

Por Bete Cervi

Ribeirão Preto - A Olidef, indústria de equipamentos médico hospitalares, fez a doação de um bilirrubinômetro ao Departamento de Puericultura e Pediatria do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto.

O equipamento, que contou com financiamento da Finep, utiliza tecnologia pioneira no mercado mundial.

Foi uma doação em reconhecimento ao trabalho do professor Arthur Lopes Gonçalves, titular aposentado do Departamento de Puericultura e Pediatria da FMRP, que acompanhando de perto os desafios da neonatologia brasileira percebeu a falta do equipamento.

Importados e caros

Segundo o professor, os que existem atualmente são importados, caros e não apresentam tanta precisão e confiabilidade. A bilirrubina é um dos produtos da degradação da hemoglobina que existe naturalmente no sangue. Quando em excesso, a substância pode causar icterícia, patologia que se manifesta em cerca de 70% dos recém-nascidos, chegando a 90% em prematuros.

Problema dos mais comuns em neonatologia, a icterícia é tratada eficientemente com fototerapia. Mas, por ser tóxica ao sistema nervoso central, os níveis da bilirrubina em recém-nascidos devem ser controlados com precisão e frequência que podem chegar a intervalos de quatro horas.

Como os equipamentos disponíveis são importados e caros e a tecnologia que envolve sua produção não é tão complexa, Gonçalves resolveu aceitar o desafio de construir um "bilirrubinômetro" 100% nacional.

Academia e mercado

O projeto do Bilirrubinômetro AG, batizado em homenagem ao professor, teve início em 2006 e ilustra uma parceria de sucesso entre a universidade e o mercado. "Entendemos a dificuldade que existe em viabilizar iniciativas com esta e temos que comemorar e torcer para que se repitam", afirmou o superintendente do HC, Benedito Carlos Maciel.

Para o presidente da Olidef e do Grupo JP, André Ali Mere, a doação do equipamento representa o êxito de um projeto inovador que teve origem no ambiente científico e de extensão universitária da Faculdade de Medicina e do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e progrediu para o mercado. "Essa cooperação com a Olidef é de longa data. Avalio como de extrema importância a parceria da universidade com a indústria", afirmou o prof. Arthur Gonçalves.

Medidas com precisão

O Bilirrubinômetro AG, mede com precisão de forma minimamente invasiva a taxa de bilirrubina no organismo em recém-nascidos, é útil para investigar e acompanhar alterações hepáticas, icterícia e outras suspeitas. Bilirrubina em excesso em recém-nascidos pode causar danos cerebrais, perda auditiva, problemas com os músculos que movem os olhos, anormalidades físicas e até a morte.

Ciências farmacêuticas

Na área acadêmica, o professor Gustavo Henrique Goldman, do Departamento de Ciências Farmacêuticas, da Faculdade Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, foi eleito membro da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp).

A cerimônia oficial para posse será em outubro. Goldman é formado em Biologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós doutorando em Biologia Celular pela University of Medicine and Dentistry of New Jersey, Estados Unidos. Nos últimos anos o professor tem participado como palestrante em diversos Congressos e Simpósios internacionais e nacionais, além de participar de projetos de sequenciamento de genomas pela rede Genoma da Fapesp.