Notícia

Plantão News (MT)

Tecnologia inovadora agiliza o serviço prestado ao cidadão

Publicado em 07 abril 2017

A Fapesp e o governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Governo, assinaram protocolo de intenções que prevê a elaboração conjunta de edital do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) e do Pitch Gov SP, com o objetivo de financiar pesquisas científicas ou tecnológicas com foco no desenvolvimento de soluções para desafios de relevância pública.

O futuro edital contemplará diversas áreas de governo. A seleção dos projetos será feita por uma comissão conjunta da FAPESP e do governo do Estado.

O documento foi firmado pelo governador Geraldo Alckmin, o secretário de Governo, Saulo de Castro Abreu Filho, e o presidente da FAPESP, José Goldemberg, na sede do Campus São Paulo do Google, durante a apresentação do Poupinha – atendente virtual do Poupatempo –, uma solução de inteligência artificial desenvolvida pela Nama, startup residente do campus do Google.

O Poupinha está entre os 12 projetos selecionados na primeira edição do Pitch Gov SP, em 2015, por meio do qual o governo paulista busca identificar tecnologias inovadoras e promissoras nas áreas de Educação, Facilidade ao Cidadão e Saúde. “O senso de urgência vale para o setor público e privado, no que se refere à prestação de serviço aos cidadãos”, disse Fábio Coelho, presidente do Google no Brasil.

No mesmo dia em que apresentou os resultados do Poupinha, a Nama e a Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista – firmaram contrato de financiamento de R$ 1,9 milhão para a implementação de novos projetos, entre eles a segunda versão do Poupinha que possibilitará que, em interação com um chatbot (robô virtual), o cidadão tenha acesso a informações relacionadas à emissão de RG, condições, preço e prazo para a realização do serviço.

A um público formado majoritariamente por jovens empreendedores, Alckmin afirmou que a Desenvolve SP apoia iniciativas inovadoras por meio de quatro linhas de financiamento – duas delas com recursos do Estado e duas com aportes da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) –, além de ter participação na sociedade de 40 empresas. Sublinhou que a Fapesp, por meio do PIPE, também financia a pesquisa e o desenvolvimento em empresas inovadoras, no caso, sem exigências de contrapartida.

“Em 2016, o número de startups apoiadas pela Fapesp correspondeu a uma empresa por dia útil”, afirmou Goldemberg. No ano passado, foram contratados 228 projetos. O total de desembolso da Fapesp com o PIPE no ano foi de R$ 55,5 milhões.

“Deus abençoe”

Implantado em dezembro de 2016, o Poupinha permite ao cidadão agendar atendimento em qualquer uma das 72 unidades do Poupatempo no Estado. No primeiro trimestre de operação foram atendidos 5 mil usuários por dia e realizados 218 mil agendamentos, num total de 8,5 milhões de mensagens trocadas. “Neste ritmo, no final de 2017, 2% da população do Estado de São Paulo terá usado o Poupinha com sucesso”, prevê Rodrigo Scotti, CEO da Nama.

A Nama desenvolve tecnologias que fazem a interface homem/computador com a mesma naturalidade de uma conversa humana. Prova disso, afirma Scotti, é que o Poupinha já recebeu 51 mil mensagens de agradecimento de usuários – o equivalente a 23% dos atendimentos realizados pelo chatbot –, incluindo centenas de "Deus abençoe".

A ferramenta NAIL (Nama Artificial Intelligence Language), desenvolvida pela empresa e base para a construção do chatbots, tem capacidade de manter diálogos e compreender sentenças complexas em contextos dinâmicos, além de grande capacidade de “aprendizado profundo”(deep learning): “Inauguramos o Poupinha com uma capacidade de conversão de 50% dos diálogos; 80 dias depois esse percentual era de 70% e, no momento, estamos chegando a 72%”, afirmou. No evento, Scotti anunciou que o NAIL terá código aberto.

Agência Fapesp