Notícia

Jornal de Piracicaba online

Técnica faz fruta durar mais

Publicado em 29 outubro 2005

Estudo é inédito em todo o mundo; produto pode durar até 100% a mais do que em in natura

Uma técnica desenvolvida na Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) aumentou a durabilidade de três frutas cítricas em 100% utilizando tratamentos térmicos. A pesquisa é inédita em todo mundo para essas variedades e foi desenvolvida no Laboratório de Fisiologia e Bioquímica Pós-Colheita e coordenada pelo professor Ricardo Kluge.
As frutas cítricas escolhidas foram: tangerina murcott, lima taiti e laranja valência. Todas tiveram a durabilidade ampliada de 45 para 90 dias.
Os pesquisadores também conseguiram eficácia de 33% nos testes com pêssego dourado. De 21 dias, a durabilidade da fruta aumentou para 28 dias.
A principal técnica de armazenamento de frutas pós-colheita é o congelamento. Kluger explicou que a refrigeração continuada causa lesões na superfície da fruta. "Nossa idéia quando iniciamos o estudo era conhecer os mecanismo que fazem os frutos resistir as baixas temperaturas."
A técnica de tratamento térmico consiste em aplicar choques de calor, para ativar o mecanismo de defesa dos frutos. "A pesquisa mostrou que os choques térmicos criam uma resistência cruzada, ou seja, torna a fruta resistente ao calor, mas também ao frio." O estudo, iniciado em 2001, conta com o apoio da Fapesp (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo) e apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).