Notícia

Rádio Cidade (RS)

Tamanho exagerado de porções em restaurante contribui para obesidade

Publicado em 11 janeiro 2019

Estudo mostra que prato feito pode ser mais calórico que fast food

O tamanho das porções de comida servidas em restaurantes populares contribui para o aumento da obesidade. A conclusão é de um estudo que pesou e mediu o valor calórico de uma refeição completa, em cinco países: Brasil, China, Finlândia, Gana e Índia.

Excetuando a refeição chinesa, o volume calórico por prato feito (PF), como se diz no Brasil, chega a ser, em média, 33% maior do que a de um lanche de fast food (comida rápida).

O consumo das porções servidas em restaurante populares fornece entre 70% e 120% das necessidades calóricas diárias para uma mulher sedentária, cerca de 2 mil quilocalorias (kcal).

“Os profissionais da área da saúde que lidam com pessoas obesas estão muito preocupados em orientar a população para não comer fast food, mas, na hora que vai ver a refeição completa, ela também está exagerada”, afirma a pesquisadora brasileira Vivian Suen, do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP).

O trabalho, coordenado pela Tufts University e com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi publicado no British Medical Journal.

Na média, os fast foods ofereciam refeições com 809 calorias, enquanto as servidas à la carte (que constam do cardápio), 1.317 kcal. A pesquisadora alerta que o resultado não indica que o fast food é uma refeição mais saudável, pois não foi analisado cada nutriente, mas chama a atenção para o PF, que poderia ser uma refeição equilibrada e que, na verdade, está contribuindo para o ganho de peso.

Além da quantidade de comida oferecida pelos restaurantes em uma única refeição, também foram percebidos preparos que fazem aumentar o ganho calórico. Vivian cita como exemplo o arroz, que comumente está brilhante, indicando cozimento com excesso de óleo.

“O estudo não focou na qualidade, mas podemos dizer que tanto no aspecto quantitativo quanto no qualitativo, essa alimentação não é saudável. Precisa prestar atenção nesse prato feito, que é uma refeição completa, mas que não está sendo saudável”, alertou.

Os dados mostram que 94% os pratos à la carte e 72% dos servidos em fast foods continham mais de 600 kcal, mais que o consumo energético por refeição recomendado pelo Sistema de Saúde Pública da Inglaterra (NHS).

O estudo mediu as calorias de 223 amostras de pratos populares e de 111 refeições escolhidas aleatoriamente à la carte e de fast foods de restaurantes de Ribeirão Perto (Brasil), Pequim (China), Kuopio (Finlândia), Acra (Gana) e Bangalore (Índia). Eram considerados restaurantes que ficam a um raio 25 qiuilômetros de cada centros de pesquisa.

Conforme as medições, o tradicional PF brasileiro, com arroz, feijão, frango, mandioca, salada e pão, tem 841 gramas e 1.656 kcal. O clássico ganês fufu, com carne de bode e sopa, tem 1.105 gramas e 1.151 kcal. O típico prato indiano biryani de carneiro tem 1.012 gramas e 1.463 kcal.

Organismo resiste

A obesidade é considerada uma epidemia global pela OMS. Estima-se que 1,9 bilhão de adultos tenham sobrepeso, dos quais 600 milhões estão obesos. “Diabetes, colesterol aumentado, aumento do triglicerídeos, pressão alta, tudo isso que a gente sabe que acompanha a obesidade quando ela se torna uma doença crônica”, destaca Vivian.

A pesquisadora explica que as porções exageradas têm efeito no chamado mecanismo compensatório. “São pessoas que não conseguem compensar numa refeição seguinte o que ela comeu antes.

O organismo do obeso desenvolve defesas contra perda de peso."  Segundo Vivian, a pessoa obesa perderia a percepção para regular a quantidade de comida necessária para a refeição subsequente.

Outro problema é que o organismo de pessoas obesas cria resistência à perda de peso. De acordo com a pesquisadora, que há casos descritos na literatura médica em que, à medida que se reduz a ingestão calórica, a pessoa em tratamento começa a gastar menos calorias. “Parece que o organismo, a partir de certo peso, tenta manter o peso que tinha antes. Ninguém sabe explicar ainda como é que isso realmente funciona.”

Vivian diz que o melhor é prevenir o ganho de peso. “Se você vai a um desses restaurantes em que a porção é excessiva, divida. Não coma tudo. E tente, dentro daquilo que existe disponível, escolher as opções mais saudáveis. Depois que a pessoa ganha peso é muito difícil perder”, recomenda a pesquisadora, que aconselha ainda mudanças no ato de comer, como mastigar devagar e dar mordidas menores na comida.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
BOL UOL IBahia.com Badalo Petrus News Voz do Cliente Mercedes FM Consórcio Guaicurus Rosenwal Ferreira Rádio Taiamã FM Rádio Guabiruba FM 98,3 Mulher em Movimento Rádio Urbana FM Rádio Tchê Jornal Cristão Relevante News Saúde Gaúcha Rotary Club (Juazeiro do Norte, CE) MancheteNet Bahia em Revista Portal Santa Izabel Instituto de Saúde Coletiva - Universidade Federal da Bahia HealthUnlocked (Reino Unido) Diário de Taubaté online TV Cete Portal do Brejo Jornal Tijucas Rondônia Mídia Projeto Brasil Sem Alergia Jornal NTA - Notícias Trevo Sul Época Negócios online Repórter Cuiabá Repórter Fortaleza Repórter Porto Alegre Ecologia Médica Marília em Destak Head Topics (Brasil) Resende News Univates - Unidade Integrada Vale do Taquari de Ensino Superior Jornal Correio do Povo do Paraná Online Candeias Notícias MS News Band Portal Ribeirão Preto Portal Abrantes Sete Lagoas S/A Sintonia de Rondônia O Rondoniense Diário Central online Portal OKariri Dias D'ávila Agora JN Hoje Portal ES Tudo Tudo Rádio Onda Sul FM 94,9 Rádio Itatiaia Info na VWeb Blog do Louro Magalhães Jornal Gazeta do Estado RedeNotícia CAPCS - Centro de Apoio a Pesquisa no Complexo de Saúde da UERJ eCycle O Bom da Notícia Canedo Enfoque BML Patologia Leia Mais RBR Notícias Ultradicas Repórter Delmiro Repórter Coruripe Repórter Murici Plena Jataí Repórter Maceió Repórter Olho d'Água das Flores Repórter Garanhuns Notícia Plus TV Cariri Medical Ilhotas Olá, Serra Gaúcha! Portal Correio do Agreste MS News SAPO Notícias (Moçambique) Badalo SAPO Notícias (Cabo Verde) Dourados News MSN Casa dos Médicos Rondônia ao Vivo SABOREIE.com online Rádio Jornal Vitória News Rádio Itatiaia Portal Abrantes MancheteNet ARede CGN Portal Agora no RS Gazeta do Cerrado A Gazeta Web Jornal Cristão Studio Max TV Minas Hoje MS em Dia Diário Arapiraca Click3 Em Tempo (Manaus, AM) online Acorda Cidade O Estado RJ online O Tempo (Contagem, MG) online Atmosfera online Portal Bem Minas Leitura de bordo Petrus News Rosenwal Ferreira Revide Jornal Preliminar Diárioi Nominuto.com Agora RN online Bem Paraná online Hoje em Dia online Diário Central online Bocão News Saúde Gaúcha RIC Mais DHoje Interior online Jornal de Jundiaí online Diário Regional (Juiz de Fora, MG) online Ubaense Voz do Cliente Bonde JMais Todo Dia (Americana, SP) online TV Jornal A Redação (Goiânia, GO) Parahybano MS na Mídia TN Online Catve Santa Portal Diário de Pernambuco online Mundo Positivo LinkedIn (EUA) MD Clínica Cirúrgica Rádio Itatiaia Tyrannus Melancholicus Saúdeinevidência Portal O Norte IBahia.com No Ar Notícias Portal Mangabeira Revista Ecológico online Cristiano Lima Cariri em Ação O Sul online Roraima 1 Centro Clínico Gaúcho Vaaju Política em Evidência Portal Salvador Dez BN - Bahia Notícias Colider News Fala Guarulhos Sputnik Brasil JusBrasil Plataforma Media (Portugal) CDL FM 102,9 Farrapo Sabor da Cidade Guia Gaia NN1 Censanet JD1 Notícias Jornal Daki Xanxerê FM SuperAcesso Bangu ao Vivo Novo Dia Notícias Claudio Pinheiro Aguiar Sabes Prev Rádio Som das Águas FM 98,3 Rádio Ativa FM 99,7 Rádio Princesa FM Rádio Colon AM 1090 Noticiadaki Rádio Biguaçu Metrô FM Rádio Canavial Rádio Sempre RCI Rádio Ibiaçá Rádio Emanuel Nova Onda Folha Central Rádio A Voz FM Canal Nutrição Estação 104 Coros Saúde GS News FMRP-USP Metrô FM Estação 104 Noticiadaki RolimNotícias Folha Central OutLine Rádio Sempre RCI Folha da Cidade Rádio Ibiaçá Rádio A Voz FM Nova Onda Rádio Sempre RCI