Notícia

Agrosoft

Supermáquina chega à Unicamp

Publicado em 26 março 2008

Por Thiago Romero

Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho em São Paulo (Cenapad), localizado no campus da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior paulista, ganhou um novo sistema computacional com capacidade de processamento quase três vezes maior do que o anterior. Os novos equipamentos foram adquiridos da empresa Silicon Graphics, com recursos de R$ 800 mil do Sistema Nacional de Alto Desempenho (Sinapad), ligado à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

A supermáquina possui 172 processadores Intel Itanium 2 e 496 gigabytes de memória RAM, totalizando uma capacidade de processamento de cerca de 1,1 mil gigaflops. O equipamento anterior, inaugurado em 2005 no Cenapad, tinha capacidade de processamento de 420 gigaflops.

"Esta é a maior máquina usando arquitetura de memória distribuída, chamada numaflex, instalada no país. Com essa tecnologia é possível rodar programas pesados, que precisam, por exemplo, de 32 gigabytes de memória, sem a necessidade de fazer paralelismo, que é quando os processadores funcionam ao mesmo tempo", disse Edison Zacarias da Silva, coordenador executivo do Cenapad, à Agência Fapesp.

"Por outro lado, o pesquisador usuário também poderá usar o paralelismo se desejar rodar os mesmos 32 gigabytes de memória utilizando, por exemplo, oito processadores simultaneamente, de modo a aumentar ainda mais a velocidade dos projetos de pesquisa. Comparada com outras máquinas do Cenapad, o grande diferencial dessa que acaba de ser inaugurada é justamente a memória distribuída", complementou.

A nova estrutura contribuirá para a continuidade das simulações computacionais em áreas como física, química, biologia, engenharia, matemática e genômica.

"A maior parte do tempo hábil das máquinas do Cenapad está sendo utilizada por físicos, em particular para a resolução de problemas em nanociência. Temos atualmente, em nossas máquinas, 94 projetos sendo desenvolvidos por 240 usuários de todo o país", contou o também professor do Instituto de Física Gleb Wataghin da Unicamp.

Outra novidade é que junto com a supermáquina foi adquirido o software Gaussian, um dos mais conhecidos e utilizados pela comunidade mundial de químicos, o que deverá aumentar consideravelmente o tempo de uso do equipamento pelos pesquisadores da área. A capacidade instalada no Cenapad está disponível para atender a pesquisadores de todo o país, por meio da submissão de projetos de pesquisa.

"A demanda científica para cálculos de alto desempenho no Brasil é enorme. Com o equipamento anterior, os pesquisadores interessados enfrentavam filas de dois a três dias para usá-lo. Com a mudança do patamar de processamento da nova máquina, essa espera deve ser eliminada", disse Silva.

A inauguração do parque computacional na Unicamp foi a segunda de uma série de seis novos parques financiados pelo Sinapad. "Trata-se de um grande projeto do Sinapad que pretende revitalizar o sistema nacional de computação. Ao longo de 2008, podemos dizer que a capacidade computacional brasileira deverá ser multiplicada por sete", disse o coordenador.

Outra máquina semelhante à do Cenapad foi inaugurada no começo de março no Núcleo de Atendimento em Computação de Alto Desempenho (NACAD) do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Agência FAPESP