Notícia

Correio Popular (Campinas, SP)

Supercomputador: 22 trilhões de operações a cada segundo

Publicado em 01 março 2010

O Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho (Cenapad-SP) de São Paulo, instalado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), terá o segundo computador mais rápido do País. A nova máquina, que será adquirida ainda no primeiro semestre deste ano, deve elevar a velocidade do centro de 1,5 teraflop (1Tflop equivale a um trilhão de operações por segundo) para 22Tflops. A supermáquina é usada por cientistas do Brasil em pesquisas de variadas áreas, como física, química e biologia molecular.

Com a compra do novo computador, o centro terá sua capacidade de armazenamento elevada em 260 terabytes (cada terabyte tem um milhão de GB, ou um trilhão de bites). Segundo o físico e coordenador do centro, o professor Edison Zacarias da Silva, a máquina atenderá à demanda reprimida existente hoje para uso de computadores de alto desempenho.

Desde a inauguração do centro, o tempo de uso das máquinas cresceu muito. Em 1995, os pesquisadores usaram 82.437 horas de processamento dos equipamentos do Cenapad. Em 2008, esse número saltou para 1.489.528 de horas.

A nova máquina está orçada em US$ 1,35 milhão, financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). "Nós enviamos um projeto de ampliação do centro no começo de 2009 e recebemos a resposta este ano", conta Silva. Para o equipamento entrar em funcionamento, a Unicamp terá de ampliar a sala em que ficam os computadores do Cenapad. "Temos um espaço de 81 metros quadrados e teremos que ampliar para 100 metros", diz o coordenador.

Além da reforma do espaço físico, foram feitos investimentos no sistema de refrigeração e na compra de nobreak e gerador. "O investimento não para na compra da máquina. É preciso atualizar o sistema de refrigeração, porque os equipamentos precisam ficar a uma temperatura de 19 gruas, investir em geradores e arcar com uma alta nos custos de energia elétrica", explica.

O Cenapad foi desenvolvido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) para elevar a competitividade do País em pesquisas científicas usando computação de alto desempenho. "Utilizamos computadores IBM por dez anos. Em 2005, através do Projeto Multiusuário da Fapesp, adquirimos um equipamento que possibilitou quintuplicar nosso poder computacional", diz Silva.

Em 2008, o centro foi revitalizado com injeção de recursos do MCT e da Rede Nacional de Pesquisas (RNP), dentro do programa de revitalização dos Cenapads. "Foi um período em que nossos usuários puderam trabalhar mais, apresentando uma produção científica significativa, que superou 200 publicações em revistas internacionais de prestígio. Desde sua criação, esse centro viabilizou aproximadamente 400 projetos, sendo que no momento 132 estão ativos, com 323 usuários trabalhando", enumera.

A maioria dos usuários é da área de física (cerca de 70%) e química (mais de 23%). "Também temos pesquisadores das engenharias, biologia, medicina, enfim, de todos que dependem basicamente de simulações computacionais, o que envolve processamento de alto desempenho", afirma o coordenador.

O parque computacional do Cenapad de Campinas tem hoje 174 CPUs Intel Itanium, com 868GB de memória RAM, capacidade de armazenamento de 35TB e capacidade de processamento de 1,55Tflops. O acesso ao sistema do Cenapad é feito remotamente.

Saiba Mais

O computador mais rápido do Brasil está na Universidade Federal do Rio de Janeiro e tem velocidade de 80 teraflops. A segunda máquina mais rápida hoje está na Universidade de São Paulo, com 20Tflops, que será superada com a aquisição do equipamento do Cenapad, de 22Tflops.

 

Sistema Nacional tem oito centros em universidades

O Cenapad integra o Sistema Nacional de Centros de Processamento de Alto Desempenho (Sinapad), composto por oito centros em todo Brasil. Eles estão localizados nas universidades Federal do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Ceará, além do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC). A estrutura dos centros atende à demanda por alta capacidade de armazenamento e processamento por parte da comunidade científica nacional. "Para que os pesquisadores possam usar os computadores de um centro, precisam enviar um projeto, que será analisado. Se aprovado, ele entra na lista para uso. Se há demanda reprimida, os processos de cálculo enviados para processamento ficam em fila de espera", comenta o físico e coordenador do centro de São Paulo, Edison Zacarias da Silva. Segundo ele, a estrutura atual ainda não é suficiente para atender a todos sem filas. "Às vezes há uma espera de três ou quatro dias para que um cálculo seja iniciado", explica. (PA/AAN)

Simulações antecipam resultados de trabalhos

A computação de alto desempenho é usada em várias áreas da ciência, como pesquisas sobre hidrodinâmica aplicada, projetos de aviões, simulações de ecossistemas, previsões meteorológicas, processamento de imagens médicas digitais e nanociência. "A tecnologia dos carros de Fórmula 1 evolui semanalmente, entre uma corrida e outra, devido ao projeto virtual, em que novos modelos e aperfeiçoamentos são simulados em supercomputadores e posteriormente testados nos carros ao longo de um campeonato", diz o físico e coordenador do Cenapad, Edison Zacarias da Silva.

A indústria farmacêutica também utiliza os supercomputadores para as suas simulações. "O projeto virtual de fármacos ajuda a melhorar os produtos encurtando o tempo de desenvolvimento de uma nova fórmula a partir de simulações feitas em computadores", explica Silva. Segundo ele, é possível economizar anos de pesquisa testando formulações em computador. "Os remédios do coquetel anti-HIV foram lançados no mercado muito rápido porque foram projetados em computador antes", diz. (PA/AAN)

NÚMEROS

Produção científica com os computadores do Cenapad de 1998 a 2009

Publicações em revistas nacionais 40

Revistas internacionais 689

Livros nacionais 2

Livros internacionais 4

Congressos nacionais 539

Congressos internacionais 244

Teses de mestrado 90

Teses de doutorado 79

Fonte: Cenapad