Notícia

Blog do Ary Aires

Substância de planta inibe progressão de um câncer de mama agressivo

Publicado em 09 outubro 2018

O tumor de mama triplo-negativo, ainda sem tratamento, foi freado pela proteína da semente da árvore tamboril (ou orelha-de-macaco) em estudos iniciais

Um dos tumores mais agressivos e para o qual houve menos avanços nos últimos anos, o câncer de mama triplo-negativo ainda não conta com um tratamento específico. Mas uma proteína extraída de sementes da árvore Enterolobium contortisiliquum – conhecida popularmente como tamborilou orelha-de-macaco – pode ser a esperança para o tratamento dessa doença no futuro.

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) constataram, em um estudo, apoiado pela Fapesp, que essa molécula é capaz de inibir a metástase do câncer de mama triplo-negativo e de outros tipos de tumor, como o gástrico e o melanoma. Para quem não sabe, metástase é a disseminação da doença para outras partes do corpo.

Os resultados foram apresentados por Maria Luiza Vilela Oliva, professora da Unifesp e coordenadora da pesquisa, em palestra na Fapesp Week Belgium. O encontro, realizado em Bruxelas de 8 a 10 de outubro, reúne cientistas brasileiros e belgas com o objetivo de estreitar parcerias.

“Constatamos que a proteína inibe a invasão, a proliferação e a metástase de tumor de mama triplo-negativo em testes in vitro [em células no laboratório] e, no caso do melanoma, tanto em modelo in vitro como in vivo [em animais]”, disse Maria Luiza, à Agência Fapesp.

Essa substância, denominada Enterolobium contortisiloquum inibidor de tripsina (EcTI, na sigla em inglês), foi isolada por Maria Luiza durante seu doutorado, no final da década de 1980. A partir daquela época, a cientista começou a tentar isolar outras moléculas similares de sementes de leguminosas da flora brasileira.

Por Agência Fapesp