Notícia

Agência C&T (MCTI)

STF deve retomar quarta-feira julgamento sobre células-tronco

Publicado em 26 maio 2008

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma quarta-feira (28) o julgamento de ação de inconstitucionalidade de artigo da Lei de Biossegurança que autoriza as pesquisas com células-tronco embrionárias. A ação foi ajuizada pelo então procurador-geral da República Cláudio Fonteles.No último dia 5 de março, depois de três anos de espera, o Supremo iniciou o julgamento. O ministro relator Carlos Ayres Britto e a então presidente da corte, ministra Ellen Gracie, votaram pela constitucionalidade das pesquisas. O ministro Carlos Alberto Menezes Direito, no entanto, pediu vista. A Lei de Biossegurança foi aprovada em 2005 e seu artigo 5º permite que embriões congelados há mais de três anos sejam usados para pesquisas.

"Vacina doce" contra o câncer

A descoberta de estruturas químicas de membrana de células composta em especial de açúcares tem possibilitado pesquisas de base imunológica na produção de vacinas, uma vez que as células tumorais contêm excessiva quantidade de moléculas de açúcares.

Os açúcares compõem muitas moléculas de proteínas e lipídeos na superfície das células. Esses açúcares são ligados às células através de reações enzimáticas que ocorrem em organelas citoplasmáticas como o retículo endoplasmático e o sistema de Golgi. A seguir os açúcares são degradados em moléculas de glicoconjugados dentro dos lisossomas.

A figura acima mostra que as estruturas arredondadas de cor verde que são as lipoproteínas de membrana e delas saem proteínas específicas em cor azul e açúcares em cor vermelha. Esse conjunto de proteínas e açúcares determina o conhecimento imunológico da célula no organismo. Uma proposta para o tratamento de câncer seria incorporar os açúcares existentes em células cancerosas extraídas de tumores às vacinas.

Essas vacinas induziriam o sistema imunológico da pessoa a produzir anticorpos capazes de reconhecer e selecionar as células que tivessem as estruturas de açúcar que estimulariam a produção de anticorpos específicos. Esses anticorpos específicos contra os açúcares das membranas de células cancerosas atacariam-nas eliminando o tumor.

Produção de célula-tronco específica por clonagem terapêutica

No óvulo fecundado tem início a formação do embrião "in vitro".

 Após cinco dias de incubação "in vitro" do óvulo fecundado o número de células se multiplica formando o blastocisto. Essas células contêm células pluripotenciais para formação dos diversos tecidos do organismo e são conhecidas por células-tronco.  

 As células pluripotenciais são extraídas do blastocisto e colocadas em outro meio de cultura enriquecido com proteínas específicas para induzir a produção de determinada célula tronco (no exemplo células tronco neurológicas). Por esse meio de clonagem terapêutica e com uso de meio de cultura com proteínas específicas será possível no futuro induzir células-tronco com especificidade para os tecidos do coração, pâncreas, fígado, ossos, sangue, RINS, etc.

Recentemente estamos em nossa sociedade debatendo, ou pelo menos tentando debater, sobre onde começa a vida. Para você, onde inicia a vida? Isto é importante! Para o católico, a vida inicia na concepção. Para boa parte dos médicos, cientistas e congressistas, também!

Há duas modalidades de células-tronco: a adulta e as embrionárias. Isto é preciso saber para não confundirmos no momento de orientar as pessoas. Haverá muitas reportagens sobre este tema, por isso, saber distinguir uma da outra é imprescindível! As células-tronco são conhecidas também como "células estaminais" ou ainda "células-mãe".

As células-tronco embrionárias, como o próprio nome diz, são células-tronco retiradas de embriões com poucos dias de desenvolvimento sacrificando-o (matando ou interrompendo seu ciclo natural de vida) para, a partir de tais células-tronco retiradas, constituírem determinado tecido ou órgão humano.

Como se esbarra em problemas gravemente éticos e religiosos, alguns pesquisadores e até mesmo empresas do ramo fazem pressão para aprovar o quanto antes leis que autorizem a "matança" de embriões com a finalidade aparente de salvar vidas, mas que na realidade, sendo pés-no-chão, o interesse financeiro é muito grande.

Não garante, porém, perspectivas de cura. Pelo contrário, por ser material "estranho" ao corpo, nosso sistema imunológico pode criar resistências e rejeitando-a. Diferentemente ocorre com as células-tronco adultas que por ser do próprio paciente é totalmente compatível para o organismo.

Aliás, o Vaticano, por meio da Pontifícia Academia para a Vida, afirma que "A possibilidade, já comprovada, de utilizar células estaminais adultas para conseguir os mesmos objetivos pretendidos com as células estaminais embrionárias - apesar de se exigirem ainda muitos passos, em ambas as áreas, aliás, até se obter resultados claros e definitivos - indica-a como a via mais razoável e mais humana a percorrer para um progresso correto e válido neste novo campo que se abre à pesquisa e a promissoras aplicações terapêuticas. Estas representam, sem dúvida, uma grande esperança para um número considerável de pessoas doentes."

Muitas pesquisas se fazem com este material. Recentemente estava pesquisando na internet e encontrei no site (http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?602) um artigo comentando um pouco sobre as células-tronco. Encontrei que até nos ossos longos encontramos células-troncos compatíveis para o desenvolvimento de tecidos. É um avanço e tanto para a medicina.

Eis um esboço sobre as células-tronco adultas (aprovada pela Igreja):

1. Doutor David Prentice (Georgetown). Tratamento com 20mil pacientes que estão livres do câncer.

2. Células-tronco adultas não são rejeitas pelo organismo, isto é, são compatíveis com o sistema imunológico porque são células da própria pessoa.

3. O Brasil é um dos líderes do mundo nas pesquisas com células-tronco adultas com resultados positivos e publicadas em nível internacional respeitando a vida e a ética.

4. Desenvolvimento e aperfeiçoamento nas pesquisas de Reprogramação de células adultas do próprio paciente (células pluripotenciais — iPS) capazes de originar qualquer tecido ou órgãos, portanto, compatíveis com o sistema imunológico. Doutor Shinya Yamanaka, da Universidade de Kyoto-Japão está encabeçando os estudos.

5. Células-tronco adultas não só curam como dão patentes e dinheiro (FAPESP — Fundo de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

6. Razões retiradas do site www.zenit.org. É um artigo da Doutora Maria Dolly Guimarães.

É apenas uma reflexão curtíssima. Precisamos mesmos é procurar sempre informações capazes de sanar nossas dúvidas ou pelo menos estarmos por dentro dos assuntos atuais da sociedade para não sermos ludibriados com pesquisas ou pessoas má intencionadas.

PASCOM - Padre Vagner Donizetti Macie,scj — Vigário Paroquial da Paróquia Bom Jesus — Penha-RJ

Adjori/SC