Notícia

Plantão News (MT)

Startups apoiadas pelo PIPE são selecionadas em programa da Votorantim Metais

Publicado em 27 fevereiro 2017

Três startups apoiadas pelo Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas empresas (PIPE) da FAPESP tiveram seus projetos selecionados entre os 115 que disputaram a primeira edição do programa Mining Lab da Votorantim Metais.

 

Com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e da aceleradora de startups Techmall, o programa busca conhecer, selecionar e desenvolver novos projetos e ideias que contribuam com soluções inovadoras na área de nanotecnologia e energias renováveis voltadas para a mineração.

 

As sete empresas responsáveis pelos oito projetos têm prazo até 1º de setembro para desenvolver os projetos selecionados. A Votorantim Metais poderá investir no desenvolvimento das soluções das empresas selecionadas, bem como estabelecer parcerias para busca de investimentos, compra ou distribuição dos produtos e serviços das startups.

 

A empresa nChemi, spin-off do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) da FAPESP, teve selecionado projeto que utiliza a nanotecnologia para a recuperação de íons em águas residuais.

 

Constituída em 2015 com o apoio do PIPE, a nChemi desenvolve nanopartículas de óxido de metal com aplicação bastante diversificada em diversos setores industriais (leia mais sobre a nChemi em http://pesquisaparainovacao.fapesp.br/140).

 

A Tau Flow Engenharia, com sede em Curitiba e Campinas, teve dois projetos selecionados. O primeiro, na área de nanotecnologia, propõe o aumento do rendimento da recuperação das nanopartículas de zinco com uso da ciência da fluidodinâmica computacional (CFD). E o segundo, na área de eficiência energética, também utiliza CFD para modelar e simular o forno do óxido de zinco e para identificar os fatores que geram as perdas do processo, propondo soluções para o aumento da eficiência energética.

 

A Tau tem o apoio da FAPESP para integrar tecnologias de controle térmico com CFD para aumentar a produtividade em criadouros de animais. O projeto, em curso, prevê o desenvolvimento de um kit que será utilizado para a avaliação do ambiente térmico em criadouros.

 

Na área de Bioenergia, a Bioware Desenvolvimento de Tecnologia de Energia e Meio Ambiente, de Campinas, teve selecionado projeto de desenvolvimento de tecnologia de pirólise rápida de biomassa para obtenção de bio-óleo para transformação em biomassa padronizada líquida.

 

A empresa teve o apoio do PIPE para desenvolver um sistema contínuo de produção de briquetes de biomassa torrificados e, posteriormente, para o desenvolvimento de tecnologia para a produção de fertilizantes de liberação lenta à base de bio-óleo, obtidos no processo de pirólise rápida da biomassa canavieira e do capim-elefante.

 

Na primeira etapa do Mining Lab, dos 115 inscritos foram selecionados 18 projetos. A segunda etapa, de imersão, teve um cronograma de 17 dias em Belo Horizonte, Minas Gerais, com intensos treinamentos sobre os processos da VM e sobre visão de mercado, promovido pela aceleradora Techmall.

 

Também foram selecionadas pelo programa projetos das empresas Ecoterra (Bioenergia), Zeg Environmental (Bioenergia), Ecosoluções (Bioenergia) e Bchem Solutions (Bioenergia).

 

Agência Fapesp