Notícia

Biblioteca FMUSP

Startup desenvolve molécula que promove aumento da massa muscular

Publicado em 17 julho 2020

Elton Alisson | Pesquisa para Inovação – Os pós-graduandos no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) William José da Silva e Lucas Ariel Rocha descobriram em laboratório uma molécula baseada em microRNAs – capaz de interferir na expressão de genes-alvo – que promove o aumento da massa e a regeneração muscular em camundongos.

Os pesquisadores viram na descoberta uma oportunidade de negócio. Para concretizá-la fundaram uma startup, a miRScience Therapeutics, e submeteram um projeto a uma chamada do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) para avaliar a viabilidade tecnológica e comercial da molécula para o tratamento de doenças e síndromes que envolvem a perda de massa muscular.

“Nossa primeira hipótese era usar a molécula no tratamento da caquexia induzida pelo câncer, caracterizada pela severa perda muscular, que pode levar 20% dos pacientes a óbito e atualmente não possui tratamento”, diz Silva.

Ao ter o projeto aprovado pelo PIPE-FAPESP e participar do Treinamento PIPE em Empreendedorismo de Alta Tecnologia, cujo encerramento da 15a turma aconteceu no dia 30 de junho, os pesquisadores identificaram por meio de entrevistas com oncologistas, contudo, que a caquexia não era um problema central.

“Os oncologistas estão mais interessados em tratar o tumor do que a caquexia em si, até mesmo pela falta de uma definição coesa dessa condição e de um tratamento específico”, afirma Silva.

Por meio das aulas on-line, mentorias e novas entrevistas durante o curso, os empreendedores conseguiram identificar, entretanto, cinco oportunidades comerciais promissoras para a molécula. Entre elas estão a medicina regenerativa, voltada para o tratamento da perda de massa no envelhecimento e para promover o crescimento muscular; medicina esportiva; e a medicina veterinária, para a regeneração muscular de PETs e ganho de massa de animais de criação.

A ideia é usar a molécula no mercado agropecuário para promover o ganho de peso de bovinos, suínos e aves e, dessa forma, reduzir os custos na produção, explica Silva.

“A participação no curso possibilitou expandir nossa plataforma de aplicações da molécula para o melhoramento muscular e nos deixou a lição de que devemos sempre estar em busca do cliente ideal”, avalia Silva.

Fonte: FAPESP