Notícia

Página Rural

SP: projeto temático Fapesp enfoca Zootecnia de Precisão, destaca Unesp

Publicado em 13 junho 2016

Botucatu/SP - Aprovado pela Fapesp no final de 2014, o projeto temático “Exigência nutricional, comportamento alimentar, eficiência alimentar, temperamento animal, parâmetros metabólicos, qualidade da carcaça e da carne de bubalinos em condições tropicais”, desenvolvido sob a coordenação do professor André Mendes Jorge, do Departamento de Produção Animal, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp, câmpus de Botucatu, iniciou sua atividades em maio de 2016 e tem duração prevista para cinco anos.


Buscando investigar alguns dos aspectos mais relevantes para a nutrição e produção de bubalinos, o projeto vai utilizar a tecnologia de ponta do Centro de Pesquisas Tropicais em Bubalinos (Cptb), no câmpus da Unesp de Botucatu, reformado e adequado para atender os objetivos dos pesquisadores.

“Poucas universidades no país, e até mesmo no mundo, possuem a estrutura que conseguimos desenvolver aqui no Cptb. Estamos utilizando tecnologias como: sistema eletrônico de alimentação, termografia, infravermelho próximo, sensores eletrônicos para análise do comportamento animal, ultrassonografia, tomografia computadorizada, além de outras tecnologias para avaliações metabólicas, sanguíneas, da carcaça e da carne dos animais”, salienta o Professor André Jorge.

A equipe é formada por pesquisadores nacionais e internacionais, atuando nas mais diversas áreas dentro da produção de ruminantes. O projeto conta com a atuação direta dos doutores em Zootecnia Caroline Francisco e Michel Castilhos, bem como dos orientados de pós-graduação e colaboradores que estão se dedicando diariamente, sem medir esforços, para alcançar o êxito da pesquisa. Todos são membros do Grupo de Pesquisa Unesp-Botucatu-Búfalos.

Atualmente, bubalinos de três raças (Jafarabadi, Mediterrâneo, Murrah) estão em fase de adaptação às instalações e manejo do confinamento. A estrutura é equipada com cochos que possuem sistema eletrônico de alimentação, além de balanças e bebedouros que utilizam a mesma tecnologia, bem como toda estrutura para prover bem-estar aos animais.

Os ingredientes que compõem a dieta dos animais também recebem tratamento especial no Laboratório de Bromatologia da Fmvz, sob responsabilidade do professor Paulo Roberto de Lima Meirelles. “Todos os ingredientes, bem como a dieta total são analisados por metodologia clássica e por infravermelho próximo, última tecnologia para análise de alimentos”, explica o docente do Departamento de Melhoramento e Nutrição Animal da Fmvz.

Segundo o professor André Mendes Jorge, neste primeiro ano de atividades, os estudos serão focados na eficiência alimentar avaliada pelo Consumo Alimentar Residual (CAR). “Mas outros sistemas de produção, como terminação em pasto com ou sem suplementação, ainda serão testados nos estudos que compõem o projeto temático e acreditamos que vamos obter resultados interessantes ao longo do trabalho”, finaliza o professor André Jorge.


Fonte: Unesp