Notícia

Gazeta Mercantil

SP lança frente pelo uso da energia renovável

Publicado em 03 outubro 2001

Por Regina Scharf e Alexandre Inácio - de São Paulo
Deputados estaduais paulistas lançaram ontem a Frente Parlamentar pela Energia Limpa e Renovável, iniciativa que pretende, sobretudo, fomentar a utilização dos derivados da cana para geração energética. Presidida pelo deputado Arnaldo Jardim (PPS), ela reúne representantes de todos os partidos e já definiu uma intensa agenda de trabalho. 'Nossas prioridades são a retomada do carro a álcool, a promoção da co-geração a partir de bagaço ou outros tipos de biomassa, o fomento à pesquisa científica e à exportação de álcool', disse Jardim a uma platéia repleta de representantes do setor sucroalcooleiro. "Os carros a álcool já foram 10% da frota e hoje não passam de 3,2%", disse Jardim. 'Para recuperar tal espaço, é preciso uma campanha do setor para retomar a credibilidade perdida'. Ele também sugere a criação de um diferencial tributário que barateie o carro a álcool para o consumidor final. Para o presidente da União da Indústria Canavieira do Estado de São Paulo (Unica), Eduardo Carvalho, que participou do lançamento da frente, a volta do carro a álcool esbarra no desinteresse da indústria automobilística. Segundo Carvalho, o setor alega não existir um mercado consumidor para esse tipo de veículo. 'Essa é a desculpa que eles dão há doze anos. Mesmo assim, os poucos veículos produzidos são vendidos rapidamente', disse. Para ele, a falta de abastecimento do mercado, outra alegação da indústria, está descartada. "Não existe esse risco." O presidente da Unica lembrou que em 1982, da produção total de veículos no Brasil, 95% era de carros a álcool. "Não temos a pretensão de atingir essa marca novamente, mas se os 300 mil automóveis a álcool que deixam o mercado por ano, entrassem de volta, já estaria de bom tamanho." A Frente Parlamentar também esboça uma estratégia para fomentar a co-geração a partir de biomassa. Jardim informa que será apresentada ao governador Geraldo Alckmin uma minuta de projeto propondo que a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) intermedeie a relação entre os produtores de açúcar e álcool e as distribuidoras de energia, assumindo papel semelhante ao atribuído ao Mercado Atacadista de Energia (MAE), garantindo um preço mínimo. A frente deverá mapear o potencial de exportação de álcool anidro. 'Graças à preocupação ambiental, estamos abrindo mercados inimagináveis tempos atrás nos Estados Unidos, na Europa e até no Japão, que fez uma pequena importação para a realização de um teste', disse Jardim. Para concretizar tais metas, a frente deverá promover reuniões plenárias, com a participação de especialistas dos setores envolvidos. Também montará um conselho, com um representante de cada partido, para tocar as atividades no cotidiano. Também participaram do lançamento da Frente Parlamentar Romeu Landi, diretor do Conselho Técnico e Científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Roberto Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Agronegócios e da Aliança Cooperativista Internacional.