Notícia

Paranashop

Soluções para incentivo à inovação são debatidos na 10ª Conferência Anpei

Publicado em 27 abril 2010

As limitações que afetam a inovação na iniciativa privada brasileira e suas possíveis soluções dominaram os debates no segundo dia da 10ª Conferência Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras), realizada de 26 a 28 de abril em Curitiba. Entre os pontos comuns apresentados pelos mediadores das discussões estiveram o incentivo à competitividade, ao intercâmbio de pesquisas e serviços entre os mercados nacional e internacional, à redução da carga tributária e à melhora da infra-estrutura e da educação no país. A partir dessas apresentações, os mais de 800 participantes da Conferência realizaram uma dinâmica para formular um conjunto de propostas a serem apresentadas na 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, que será promovida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia em março. O documento oficial será nesta quarta-feira (28), no último dia de evento.

Três especialistas foram convidados para a conversa: o diretor científico da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), Carlos Henrique de Britto Cruz o professor do Instituto de Economia da Unicamp, Carlos Américo Pacheco e o consultor da Fundação Araucária, Wolney Betiol. A ideia era responder à seguinte pergunta: o que é necessário para o setor privado ser protagonista da inovação? Britto argumenta que uma das questões centrais é o aumento da acessibilidade do capital de risco. É necessário simplificá-lo e torná-lo menos burocrático. Já Pacheco é da opinião de que as políticas brasileiras devem incentivar tanto as pesquisas quanto o potencial competitivo de cada empresa. As políticas são mais voltadas para a área de projetos que para a competitividade. É necessário que exista uma agenda mais ampla que a de pesquisa e desenvolvimento. Opinião semelhante a do consultor da Fundação Araucária, que vai além: É preciso, também, pensar numa forma de isenção para as empresas que usam parte dos recursos para inovação. Assim o governo perderia, temporariamente, parte da arrecadação, mas ganharia mais para frente com o aumento de renda e do número de empregados das empresas.

O evento teve ainda a apresentação de uma série de exemplos de negócios inovadores e palestras, que seguem até amanhã, quando ocorrerá a palestra das especialistas no assunto Anna Trifilova e Bettina Von Stamm, autoras do livro The Future of Inovattion.