Notícia

Correio Popular (Campinas, SP)

Software transforma texto em voz

Publicado em 22 abril 2007

Por Rogério Verzignasse, da Agência Anhangüera

Programa de computador está sendo desenvolvido por pesquisadores de uma empresa incubada pela Unicamp

Pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) acabam de concluir a primeira etapa do projeto que pretende colocar no mercado, até 2009, um programa de computador capaz de transformar palavras escritas em voz de alta qualidade.
A tecnologia, desenvolvida pela Vocalize (empresa residente na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp), consumiu seis meses de pesquisas e envolveu três especialistas. Edmilson Morais e Jaqueline Gonçalves são engenheiros em telecomunicações; Jussara Melo é fonoaudióloga e lingüista.
O primeiro protótipo do software, pelas estimativas dos pesquisadores, deve estar pronto em seis meses.
A tecnologia que converte texto em fala é disponível há mais de uma década nos Estados Unidos e Europa. Já existem conversores comerciais de texto em versões da língua de origem dos respectivos países.
Mas, segundo Edmilson Morais, o software desenvolvido por aqui oferece uma fala nítida, em português, rica em diversos aspectos da prosódia (entonação dos sons). "A base do programa contempla diferentes estilos de locução. É possível, por exemplo, captar a emoção em uma frase emitida" , explica.
A tecnologia evolui a ponto de despertar o interesse no mercado brasileiro. Entre suas aplicações práticas estão sistemas para vocalização de qualquer texto digital (como e-mails e fashes jornalísticos no celular, por exemplo).
À primeira vista, o maior beneficiado pelo sistema é o deficiente visual, que pode ouvir a mensagem que chega escrita. Mas a tecnologia possui um número enorme de aplicações em serviços corporativos: call center, portal de voz, e-learning e vocalização de livros.
A vantagem do software é a mobilidade e o conforto. "O profissional não precisa interromper qualquer atividade para ler um texto. Ele simplesmente o ouve" , explica Jussara.

Saga
A pesquisadora Jaqueline conta que o projeto se torna real depois de uma batalha incansável por financiamento. A idéia que credenciou a Vocalize à condição de "pré-incubada" na Inova surgiu ainda em 95.
O projeto chegou a ser apresentado em um concurso do Banco Santander para o fomento às pequenas empresas. Mas o 5 lugar (dentre cerca de 800 concorrentes de todo o Brasil), só conferiu aos pesquisadores um certificado de mérito.
Incansável, a equipe conseguiu em agosto de 96 bolsas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Com os recursos, a Vocalize adquiriu computadores e gravadores avançados, de alta fidelidade.

Tecnologia usa banco com 2,5 mil sentenças gravadas
A tecnologia desenvolvida pela Vocalize usa um banco com 2,5 mil sentenças gravadas. São frases segmentadas em fonemas e sílabas. A partir dessas unidades de som, o programa sintetiza a voz humana. As palavras escritas se transformam em faladas, dotadas de ritmo e entonação semelhantes aos da voz humana. O programa é "treinado" para fazer uma análise sintática das sentenças e das vozes que podem ser utilizadas em cada situação. (RV/AAN)

Conhecimento é convertido em produtos na incubadora
A Vocalize é uma das empresas incubadas na Agência de Inovação da Unicamp (Inova), fundada em 2003 para ser rede de relacionamento entre universidade e sociedade. A proposta é incrementar a pesquisa e o ensino, de forma que o conhecimento acadêmico seja convertido em serviços.
A Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp), incorporada à Inova, mantém hoje 11 empresas incubadas.
Enquanto a Unicamp fornece o espaço físico e os gestores, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) financia as atividades da incubadora. Após organizada, com projeto definido, a incubada procura por financiamento e patrocínios para executar seus projetos.
Nos últimos três anos, a Inova depositou cerca de 200 patentes, com aplicações em medicina, saúde e nutrição; produção industrial; comunicação e tecnologia da informação; produção rural e exploração de recursos naturais. A Unicamp é a universidade com o maior número de patentes depositadas.
"Só no ano passado, os 75 acordos de pesquisa colaborativa com empresas geraram R$ 11 milhões em recursos que entraram na Unicamp" , afirma o diretor executivo da Inova, Roberto de Alencar Lotufo. Nove empresas, diz, foram incubadas no passado e hoje disputam o mercado, definitivamente instituídas. (RV/AAN)

O número
90 mil REAIS - São os recursos investidos nos últimos seis meses pela Fapesp no desenvolvimento do software da Vocalize

Inovação - Avanço nas patentes
CaracterísticasAntes da Inova (15 anos)Após a Inova (3 anos)Patentes depositadas: 217200
Patentes licenciadas: 743
Contratos de licenciamento: 525