Notícia

Diário do Nordeste

Sobre a crítica em Robert Kurz

Publicado em 22 janeiro 2013

No Ceará, o grupo Crítica Radical – que já teve jornal e conhecido por atos públicos que falam do fim da política (como conhecemos) – é o grande divulgador da obra do filósofo alemão Robert Kurz (1943 - 2012). Morto em julho do ano passado, Kurz foi um dos criadores do coletivo Krisis, que mantinha uma revista homônima, com ensaios de jovens autores que defendem uma reinterpretação da obra de Karl Marx (1818 -1883).

Kurz queria fazer de Marx, mais uma vez, um autor “perigoso”, com sua crítica quase apocalíptica do capitalismo. Uma diferença básica entre o Marx de outros tempos e o Marx reinterpretado pela turma de Kurz é que o capitalismo não chegaria ao fim por força de suas próprias contradições, como num evolucionismo de modelos econômicos. Kurz acreditava que o fim do capitalismo jogaria o mundo numa nova era de barbárie – esta, contudo, não é inevitável e a saída está, justamente no pensamento crítico.

Kurz é um dos autores mais interessantes da leva de marxistas que não se enclausurou na academia, nem permitiu ficar preso a estereótipos (daí o motivo dos partidos de esquerda lerem tão mal obras como a dele). Não tem o humor de um Slavoj Žižek, mas tem a clareza e a sistematização que muitas vezes falta a este.

A obra de Kurz, no entanto, nem sempre é simples de se compreender – sobretudo porque se ancora em um universo de autores que, muitas vezes, não estão traduzidos no Brasil.

É por isso como trabalhos como “Negatividade e Ruptura: configurações da crítica de Robert Kurz” são importantes. Eles ajudam a construir uma fortuna crítica da obra do alemão e, assim, possibilitam o estudo de seus livros mesmo por aqueles que não são “iniciados”. O estudo é o resultado da pesquisa de mestrado de Ricardo Pagliuso Regatieri e traz o aval do filósofo alemão Anselm Jappe – que assina o prefácio do livro.

Revisão

Em seu livro, Regatieri estuda a maneira como as questões de “valor” e “fetichismo” foram tratadas por Marx. Não a toa, foram estes pontos fundamentais para a obra do alemão Robert Kurz.

O brasileiro ainda faz uma revisão do pensamento marxista até chegar a Kurz, passando pelas obras de pensadores como os alemães Max Horkheimer e Theodor Adordo, o russo Vladimir Lenin e o húngaro György Lukács.

“Negatividade e Ruptura” será lançado em Fortaleza, hoje e amanhã, em um evento aberto ao público, promovido pelo grupo Crítica Radical.

Mais informações:

Lançamento do livro “Negatividade e Ruptura: configurações da crítica de Robert Kurz”, com palestra do autor, Ricardo Pagliuso Regatieri. Hoje e amanhã, no Auditório Rachel de Queiroz, no Campus de Humanidades 2. (Av. da Universidade, 2762, Benfica). Contato: (85) 3366.7300

LIVRO

Negatividade e Ruptura: configurações da crítica de Robert Kurz

Ricardo Pagliuso Regatieri

Fapesp/Annablume

2012, 150 páginas

R$ 34