Notícia

Observatório do 3° Setor

Site disponibiliza material para quem está com a saúde mental vulnerável

Publicado em 14 outubro 2019

Por Mariana Lima

O site foi desenvolvido por pesquisadoras da USP e oferece conteúdos baseados em estudos científicos, além de cartilhas e e-books

O site InspirAção disponibiliza conteúdos sobre cuidado, apoio e bem-estar sobre pessoas com a saúde mental vulnerável, visando oferecer informações tanto para quem está vivendo essa situação, como para profissionais que buscam informações.

A plataforma foi desenvolvida por pesquisadoras da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, em parceria com o Centro de Educação em Prevenção e prevenção de Suicídio (CEPS) e com o Laboratório de Estudos e Pesquisa em Prevenção de Suicídio (LEPS), todos da USP.

O InspirAção reúne artigos de pesquisadores e professores que atuam na área de estudos sobre a saúde mental, e publicações de histórias de personagens que servem de apoio à jornada de cuidados.

Qualquer pessoa pode acessar os textos e ensaios científicos, porém, para publicar conteúdos e realizar enquetes – feitas de maneira anônima para oferecer segurança – é necessário fazer um cadastro. Todos os conteúdos do site passam pela análise de especialistas para evitar a presença de conteúdos pró-suicidas.

Além do material de caráter mais científico, no site é possível encontrar cartilhas e e-books com orientações para profissionais e pessoas da comunidade que desejam ajudar de alguma maneira. Sobre a prevenção ao suicídio, a plataforma oferece vídeos, filmes e notícias.

Uma ferramenta que será lançada nos próximos meses para estender a atuação do InspirAção é o Plano de Gestão de Crise, que funcionará de forma mais individual, focando na pessoa vulnerável, nos amigos e familiares, com o objetivo de auxiliar a identificação de sensores que levam a crises.

A pessoa que estiver utilizando essa ferramenta em específico será atendida no momento em que estiver tendo uma crise que pode resultar em uma situação suicida.

Através do site a pessoa responderá questões formuladas a partir da literatura médica. Ao final, serão oferecidos nomes, o contato de profissionais do sistema de saúde e atividades de psicoeducação.

Apesar de focar na prevenção, o site também disponibiliza informações sobre o acolhimento para quem perdeu alguém em decorrência do suicídio.

Entre junho e setembro deste ano o site recebeu mais de 4 mil acessos, com origem em países como o Canadá, Espanha, Estados Unidos, Japão e Portugal.

A plataforma agrega pesquisadoras de doutorado, mestrado e graduação. A Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de São Paulo (Fapesp) apoiou a construção do site.

Fonte: Jornal USP