Notícia

Universia Brasil

Site de Grupo de Pesquisa do Instituto de Química da UNESP pode ser acessado por celular

Publicado em 19 abril 2007

O conteúdo do site do Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), ligado ao Instituto de Química da UNESP, campus de Araraquara, está disponível para acesso por meio de celular conectado à Internet com o navegador Wap, desde o dia 30 de março. O serviço também funciona com computadores de mão, como Smart Phones, Palmtops e PDAs.

O professor Elson Longo, diretor do CMDMC e pesquisador do IQ/UNESP, explica que a idéia de aplicar a nova tecnologia surgiu após a verificação de que pelo celular é possível acessar portais das maiores agências de notícias brasileiras e sistemas de busca como o Google e Yahoo. "Não encontramos nenhum centro de pesquisa com conteúdo disponível. Assim, por que não oferecer este serviço?", observou.

O portal do CMDMC oferece notícias de ciência e tecnologia, vídeos e mais de 1,7 mil publicações científicas, com facilidade de efetuar buscas pelas áreas de interesse. Permite também ao usuário participar de fóruns de discussão em tempo real, votar em enquetes e obter material didático.

Elson comenta que o objetivo da iniciativa é utilizar novos meios tecnológicos para disseminar o conhecimento produzido nos laboratórios do CMDMC, um dos dez centros de excelência criados pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), por meio do programa Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids). O CMDMC reúne pesquisadores da UNESP, da UFSCar, da USP e do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares.

O CMDMC foi um dos pioneiros no País na utilização de DVDs e programas de TV para divulgar temas como nanotecnologia e agora coloca esses vídeos também na Internet. A iniciativa de oferecer acesso ao conteúdo via celular segue a tendência de grandes instituições internacionais de pesquisa como o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), que disponibiliza grande parte de seus cursos e materiais pela Internet.

Fonte: Unesp