Notícia

Portal Fator Brasil

Sistema pioneiro treina profissionais de segurança

Publicado em 05 janeiro 2011

Os agentes públicos de segurança e profissionais dessa área do setor privado contarão ainda neste ano com um sistema pioneiro no país de Treinamento Interativo de Segurança (TIS). O produto está na fase final de desenvolvimento e deve ter o primeiro protótipo finalizado no primeiro trimestre de 2011. Produzido pela empresa Cientistas de São Carlos (a 230 km de São Paulo), o sistema oferece a oportunidade de treinar profissionais de segurança em vários ambientes, buscando o treinamento tático e psicológico mais adequado para cada situação.

O produto chega ao mercado com um menu básico de opções de treinamento, conforme levantamento realizado pela empresa das necessidades do mercado. O software tem itens similares aos do mercado internacional, mas com soluções genuinamente brasileiras, como a possibilidade de uso da voz para comandos. "O nosso produto não é para melhorar a destreza do tiro, mas para treinar atitudes psicológicas diante de vários cenários", explica Antonio Valério Netto, diretor da Cientistas.

O sistema começou a ser desenvolvido em 2003 e contou com R$ 765 mil de investimentos por parte de recursos da Fapesp, Finep e da própria empresa. Os profissionais da Cientistas pesquisaram durante oito meses as necessidades e dificuldades do treinamento por meio de visitas às instituições públicas e empresas do setor. O resultado é um simulador que projeta ambientes em uma grande tela e oferece várias opções de treinamento, desde os princípios básicos até situações mais delicadas, como sequestros.

"Nosso maior desafio foi entender as necessidades da área de segurança e criar programas capazes de treinar psicologicamente esses profissionais", aponta Valério. O empresário ressalta que um dos ideais dos treinamentos desse setor é fazer o uso da arma de fogo ser sempre a última opção do profissional.

Os usuários contarão ainda com um poderoso sistema de gestão, que permite acompanhar a evolução de cada profissional diante de cada situação, gerando relatórios e planilhas. O produto oferece ainda a garantia de checar o nível de estresse dos profissionais envolvidos em diversas situações. O preço é outra vantagem do produto nacional: os simuladores importados custam a partir de R$ 300 mil e podem chegar a casa do milhão, enquanto o sistema produzido pela Cientistas tem custo a partir de R$ 50 mil.