Notícia

A Cidade (Ribeirão Preto) online

Sistema inédito deve agilizar fila do hospital

Publicado em 08 janeiro 2007

A partir de março, o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Ribeirão Preto terá condições de solicitar vagas no Hospital das Clínicas, via internet, para os pacientes das 25 cidades que administra. O novo método de agendamento será possível graças a um sistema de informática inédito no País, desenvolvido por profissionais do HC em conjunto com o DRS e no qual a Fapesp investiu R$ 200 mil.
Hoje, todos os atendimentos realizados em unidades de saúde pública são registrados em "guias de referência", documentos nos quais o médico registra o histórico do paciente. Em caso de necessidade de encaminhamento ao HC, a guia de papel também precisa ser entregue no hospital pelos DRS's.
Mas quando não há vagas em determinada especialidade do HC uma "fila de espera" de pacientes se forma no hospital, sem que os médicos tenham condições de avaliar de forma rápida quais são os casos prioritários. "Recentemente, a otorrinolaringologia fez uma avaliação em 1.500 guias que estavam paradas. Cerca de 400 eram para retirada da amígdala, que é uma cirurgia muito simples, que não teria necessidade de ser encaminhada para o HC", diz Carlos Eduardo Rezende, gerente geral do ambulatório do HC.
Com a implantação do sistema, as atuais guias de papel serão virtuais e passarão a ser enviadas ao HC pela internet. "O médico vai ter condições de acessar um banco de dados pelo computador, saber a quantidade de agendamentos, acessar o histórico do paciente e saber se ele se encaixa nos protocolos de referência em atendimento do hospital, ou se o caso deve ser reencaminhado para outro local", explica Rezende.
Desde 2000, todos os agendamentos já são registrados em meio eletrônico, mas a solicitação de atendimento e o acesso ao histórico do paciente ainda dependem da guia de papel. O novo sistema também é uma condição básica para que pacientes de outros Estados, que representam 8% do total de atendimentos feitos no HC possam ser reencaminhados para outras unidades sempre que não se encaixarem no perfil de tratamentos médico nos quais o HC é referência. "Aí sim, por exemplo, nós vamos poder saber se a vaga oferecida para um paciente do Mato Grosso não pode ser melhor utilizada por um paciente da região ou do Estado de São Paulo".