Notícia

Saense

Sistema de baixo custo transforma resíduo industrial cancerígeno em produto de valor comercial

Publicado em 26 outubro 2021

Agência FAPESP* – Entre os resíduos industriais e agrícolas que representam risco à saúde humana está o 4-nitrofenol (4NP), usado na fabricação de medicamentos, fungicidas, inseticidas e corantes. Mesmo em baixas concentrações, o composto pode atuar como disruptor endócrino (interferir no equilíbrio hormonal), promover irritação dérmica e ocular, além de apresentar potencial carcinogênico.

Em artigo publicado na revista Química Nova, pesquisadores do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais ( CDMF ) descreveram uma estratégia para converter o 4NP em 4-aminofenol (4AP), um dos precursores do analgésico paracetamol. Desse modo, seria possível obter um produto menos nocivo e com valor comercial agregado.

O CDMF é um Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão ( CEPID ) da FAPESP sediado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

No estudo, a conversão foi monitorada por um colorímetro artesanal desenvolvido a partir da reutilização de materiais de baixo custo – alguns deles considerados lixo eletrônico, como carregador de celular.

“Inicialmente, foi realizado um levantamento bibliográfico sobre a problemática ambiental do 4NP. Também avaliamos possíveis rotas de conversão do 4NP em 4AP. A partir da literatura visitada, tivemos a ideia do colorímetro artesanal, que foi aprimorada para que o material construído fosse ao mesmo tempo um reator e um sensor para a reação estudada”, explica Byanca Stefani Salvati , graduanda em química na UFSCar, bolsista de iniciação científica da FAPESP e primeira autora do artigo.

Quanto à conversão do 4NP, o doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Química (PPGQ-UFSCar) Sirlon Blaskievicz conta que os resultados indicam a formação do 4AP, o que é muito positivo do ponto de vista ambiental e econômico.

“Outro ponto importante é que o reator/sensor se mostrou uma alternativa eficiente e de baixo custo, que pode ser usada em aulas práticas e também em laboratórios de pesquisa com recursos limitados”, acrescenta Blaskievicz.

Também assinam o artigo Lucia H. Mascaro , docente do Departamento de Química da UFSCar, e Patricia G. Corradini , pós-doutoranda no PPGQ-UFSCar.

Apesar dos resultados iniciais promissores, os autores consideram que ainda são necessários outros estudos para a confirmação dos produtos formados e a investigação dos mecanismos envolvidos na reação.

O artigo Sistema de Baixo Custo para Execução e Monitoramento On-line de Reações Fotocatalíticas: Aplicação em Redução de Nitrol-Fenol pode ser lido em: http://static.sites.sbq.org.br/quimicanova.sbq.org.br/pdf/NT2021-0097.pdf .

* Com informações da Assessoria de Comunicação do CDMF.

Este texto foi originalmente publicado por Agência FAPESP de acordo com a licença Creative Commons CC-BY-NC-ND . Leia o original aqui .

Como citar este texto: Agência FAPESP. Sistema de baixo custo transforma resíduo industrial cancerígeno em produto de valor comercial. Saense. https://saense.com.br/2021/10/sistema-de-baixo-custo-transforma-residuo-industrial-cancerigeno-em-produto-de-valor-comercial/. Publicado em 26 de outubro (2021).

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Revista Analytica online Quimiweb Investe São Paulo Brasil Agora