Notícia

A Tribuna Piracicabana

Sistema automatiza cozimento de grãos

Publicado em 30 julho 2020

O comportamento durante o cozimento é um dos pontos mais importantes em estudos de desenvolvimento e melhoria de linhagens e processos de grãos para o consumo humano. Um dos métodos de estudo mais utilizado é o uso de um equipamento chamado “Mattson Bean Cooker”, bastante comum em laboratórios de todo o mundo. Pesquisadores da Esalq desenvolveram um sistema simples e barato para automatizar esse dispositivo, facilitando o trabalho e otimizando os recursos dos envolvidos.

“Embora seja um método eficiente e simples, o uso do “Mattson Bean Cooker” é trabalhoso, pois demanda monitoramento humano durante horas de experimento. A nossa ideia foi desenvolver uma forma simples, eficiente e barata para automatizar o sistema, liberando assim o pesquisador para utilizar o seu tempo com tarefas mais relevantes”, explica Viviane Deroldo Sabadoti, graduanda em Ciências dos Alimentos pela ESALQ/USP e atualmente finalizando o programa de duplo diploma na Ecole Nationale Vétérinaire, Agroalimentaire et de l’Alimentation Nantes (ONIRIS, França).

Viviane desenvolveu o sistema como parte de uma Iniciação Científica desenvolvida no Grupo de Estudos em Engenharia de Processos (Ge²P) da ESALQ/USP, juntando seus conhecimentos prévios como Técnica em Eletromecânica e os adquiridos durante a graduação e pesquisa no Ge²P.

O Ge²P vem estudando há 7 anos diferentes técnicas e abordagens para melhorar o processamento de grãos para consumo humano. “Nós já desenvolvemos estudos utilizando diferentes tecnologias, como ultrassom, ozônio e irradiação, avaliamos parâmetros de processo como temperatura e pH, caracterizamos diferentes variedades visando o entendimento de suas potencialidades, participamos de estudos de seleção de linhagens e até estudamos a incorporação de nutrientes em grãos. Em grande parte dos casos, o comportamento durante o cozimento é um ponto importante, destacando a importância do desenvolvimento desse sistema”, destaca Pedro E. D. Augusto, professor e coordenador do grupo.

Diversos desafios tiveram que ser superados durante o projeto. Os pesquisadores destacam a importância de fatores como baixo custo, facilidade de adaptação de equipamentos já existentes e valorização do desenvolvimento em open source. Ainda, o sistema deveria ser robusto para funcionar em ambientes com alta temperatura e vapor de água, ser aplicável a diferentes grãos, além de ser de fácil utilização.

O aparelho desenvolvido foi avaliado em diversas condições, incluindo grãos com tamanhos e comportamentos bastante diferentes. Funcionando adequadamente em todas as circunstâncias testadas, e com custo menor que US$ 200, o sistema foi validado e considerado um sucesso.

A elaboração do sistema acaba de ser apresentada no artigo científico “Automation of a Mattson Bean Cooker: A simple and lowcost approach”, publicado na revista “Journal of Food Processing and Preservation”, onde há todo o detalhamento de forma a permitir que qualquer pesquisador ao redor do mundo possa melhorar o equipamento que já possua.

Além de Viviane e Pedro, o projeto também foi desenvolvido pelo Prof. Alberto Claudio Miano, atualmente na Universidad Privada del Norte (UPN, Peru), com financiamento e bolsas da FAPESP (2016/18052-5, 2016/23908-6) e CNPq (401004/2014-7, 306557/2017-7).