Notícia

Jornal Primeira Página online

Sistema analisa dados comparativos sobre o avanço da Covid-19

Publicado em 11 junho 2020

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, uma das grandes preocupações dos pesquisadores que buscam formas de combatê-la é com a qualidade e a organização dos dados de casos, óbitos, internações e outros números que ajudem a traçar um panorama mais certeiro da evolução da doença.

Nos últimos dias, essa discussão ganhou ainda mais força com a decisão do Governo Federal em remover algumas informações do portal oficial – que depois foi anulada por decisão do STF – e a alteração na forma de contagem de casos e óbitos diários no país.

Foi nesse contexto que pesquisadores lançaram o SP Covid-19 Info Tracker. A ferramenta reúne dados desde o início da pandemia em 82 cidades paulistas, que correspondem a 95% dos óbitos confirmados no estado. O sistema apresenta dados de histórico diário, índices epidemiológicos e resultados de estatísticas matemáticas fornecidas por cada município monitorado, possibilitando que as informações sejam comparadas na íntegra. Assim, a ferramenta de análise de dados permite uma avaliação mais assertiva da evolução da doença em cada município e no estado como um todo.

O projeto é uma iniciativa de pesquisadores da UNESP e da USP liderados por Wallace Casaca, professor da Unesp em Rosana e pesquisador do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela Fapesp.

“Trata-se de uma ferramenta de análise de dados que monitora as cidades do estado em tempo real, permitindo que sociedade, mídia, comunidade científica e entidades governamentais possam entender com maior nível de detalhamento a evolução da Covid-19 no estado. A ferramenta compila diversas informações sobre o avanço da doença no estado, incluindo, além dos dados brutos dos municípios, dados de historicidade, estatísticas, índices epidemiológicos e resultados de simulações matemáticas”, explica Casaca.

O Info Tracker é um sistema aberto para acesso público que reúne várias estatísticas e processa os dados com modelos matemáticos e algoritmos de ciência de dados. O instrumento se divide em quatro partes. A primeira mostra os números diários e absolutos de casos confirmados, descartados e notificados, testes realizados, pacientes recuperados e óbitos confirmados, de acordo com as informações fornecidas por cada município e do processamento dos dados coletados.

A segunda parte apresenta gráficos que apresentam visualmente a historicidade dessas informações e dão um perfil detalhado do desenvolvimento da Covid-19 ao longo do tempo.

As duas últimas páginas possibilitam um comparativo entre os dados de quaisquer cidades do

estado monitoradas pelo projeto, também com apresentação de gráficos e estatísticas para análise temporal.

Além de fornecer os dados de uma forma mais didática e informar a população mais claramente, os pesquisadores querem que a ferramenta seja útil para que governo e municípios sejam auxiliados nas tomadas de decisão para desenvolver políticas públicas de combate à pandemia.

“Além de dar transparência aos dados sobre o novo coronavírus no estado, a plataforma visa dar condições para que secretarias municipais e entidades do poder público estadual possam implementar respostas rápidas, de ordem técnica e síncrona com a ocorrência do dado, a partir da análise dos dados e da situação de cada município”, completa o pesquisador.

Sobre o CeMEAI

O Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), com sede no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP.

O CeMEAI é estruturado para promover o uso de ciências matemáticas como um recurso industrial em três áreas básicas: Ciência de Dados, Mecânica de Fluidos Computacional e Otimização e Pesquisa Operacional.

Além do ICMC-USP, CCET-UFSCar / IMECC-UNICAMP / IBILCE-UNESP / FCT-UNESP / IAE e IME-USP compõem o CeMEAI como instituições associadas.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
USP São Carlos Jornal Primeira Página Jornal da USP online