Notícia

Rede Clipex

Sirius poderá ter primeiro feixe de elétrons em agosto

Publicado em 20 fevereiro 2018

O primeiro feixe de elétrons deverá percorrer os 518,4 metros de circunferência do acelerador de Sirius, a nova fonte brasileira de luz síncrotron, em agosto deste ano. A expectativa é que o equipamento, em construção no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, esteja aberto para o uso de pesquisadores em 2020. O 22° Termo Aditivo ao Contrato de Gestão com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), que prevê o repasse de R$ 218 milhões para o Sirius em 2018, foi assinado em 15 de fevereiro, durante a visita do presidente da República, Michel Temer, à obra, de acordo com a Assessoria de Comunicações do Ministério.

Mais de 80% das obras civis de infraestrutura e dos equipamentos que compõem o Sirius já estão prontos. Parte dos componentes foi desenvolvida por 18 empresas instaladas em São Paulo, com o apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP e do Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas (PAPPE Subvenção) da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep)

Essas empresas tiveram, ao todo, 23 projetos selecionados em duas chamadas do Programa PIPE/PAPPE Subvenção, no âmbito da parceria entre a FAPESP e a Finep. Os projetos envolvem o desenvolvimento de soldagem de câmaras de ultra-alto vácuo, elementos ópticos, proteção radiológica para cabanas experimentais, entre outros.

A relação de projetos aprovados na primeira chamada de propostas para o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores para o novo anel acelerador Sirius pode ser acessada em http://www.fapesp.br/9574. A lista de projetos selecionados na segunda chamada está acessível no endereço http://www.fapesp.br/10644.