Notícia

Unesp

Simpósio Japão-Brasil estimula parcerias

Publicado em 20 março 2013

Por Fernando Cunha, da Agência FAPESP

O cenário atual para o desenvolvimento do sistema de Ciência e Tecnologia no Estado de São Paulo e as oportunidades oferecidas pela Fapesp para apoio a projetos de pesquisa foram tratados por José Arana Varela, diretor-presidente do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp, na conferência especial de encerramento do Simpósio Japão-Brasil sobre Colaboração Científica, organizado pela Sociedade Japonesa para a Promoção da Ciência (JSPS) e pela Fapesp, nos dias 15 e 16 de março, em Tóquio, com apoio da Embaixada do Brasil naquele país.

A apresentação de Varela, professor do Instituto de Química da Unesp, Câmpus de Araraquara, destacou os principais programas da Fapesp, tanto para a formação de pesquisadores por meio da concessão de bolsas, como para o desenvolvimento de projetos de pesquisa nos programas Fapesp de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN)), sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG) e Biota, uma rede virtual de pesquisadores para caracterização, conservação e uso sustentável de biodiversidade.

“A abertura de oportunidades de colaboração internacional está entre as principais estratégias da Fapesp. Para isso, a Fundação oferece a pesquisadores estrangeiros bolsas de pós-doutorado, que incluem apoio à realização de projeto de pesquisa, auxílios no Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes, para a nucleação de novos grupos em instituições no Estado de São Paulo, e auxílios a professores visitantes”, disse.

Varela ressaltou também a ampliação dessas oportunidades em programas como Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA), para a organização de cursos de curta duração com participação de pesquisadores de expressão internacional e alunos brasileiros e estrangeiros, e o São Paulo Excellence Chair (SPEC), para financiar a permanência de cientistas estabelecidos fora do Brasil em projetos em desenvolvimento no Estado de São Paulo em períodos de três a cinco anos.

Na última sessão do simpósio, Hisashi Kato, diretor do Departamento de Programas Internacionais da JSPS, avaliou o resultado dos dois dias de conferências. “Estou confiante na aproximação entre nossos cientistas após esses dois dias. Desenhamos o encontro com esse objetivo e vejo que conseguimos alcançá-lo”, disse.

Para Celso Lafer, presidente da Fapesp, “as conferências e discussões sobre temas de grande interesse em saúde, biodiversidade, economia e desenvolvimento, cultura e sociedade foram muito estimulantes para ampliar o contato e a interação em projetos de pesquisa entre cientistas do Japão e do Brasil”.

Yuichiro Anzai, presidente da JSPS, ressaltou a importância do simpósio para aproximar não apenas os cientistas dos dois países, abrindo a possibilidade de intercâmbios em pesquisa, como também as próprias instituições.

“A JSPS valoriza a realização de acordos de cooperação com instituições de outros países para estimular projetos de pesquisa internacionais e essa aproximação com a Fapesp deverá levar a uma parceria muito importante para os dois lados”, disse.

De Tóquio